domingo, 29 de dezembro de 2013

MELHOR DE TRÊS...

Eu estava na rua, curtindo uma madrugada com um pouquinho de frio quando o ciclista me surpreende parando atrás de mim numa esquina e de longe fica me olhando sentado. Sem a menor vergonha, ele tira seu pinto pra fora e começa a balançar para chamar minha atenção. E chamou. Ele foi corajoso em ter feito isso sem saber se eu estava afim, ou se ao menos curtia outro cara. Na hora fiquei parado olhando, o vendo se exibir e mostrar seus dotes. Continuei sentado, ele amarra a bicicleta no poste e vem sentar-se junto a mim. Começa falando coisas sem sentido, tentando puxar assunto, mas sem saber como fazer. Perguntou se eu estava esperando alguém, o que estava fazendo ali sozinho etc... Ah, não vou perder tempo sendo que, eu sei bem o que ele estava querendo e, particularmente, eu também estava afim. Comecei alisando seu pinto, ele estava de joelhos na minha frente e nesta posição, comecei a masturbá-lo e, disfarçadamente colocando seu pinto na minha boca. Estava gostoso, seu pinto tinha a cabeça lisinha, que parecia deslizar boca adentro. Não demora muito e ele acaba gozando, se despedindo de mim com um beijo no pescoço.

Ele é meu amigo, tem namorada e o desejo de comer uma bunda, coisa que sua namorada ainda não deixou. Tivemos rapidamente algumas experiências homossexuais, onde eu acabei segurando seu pinto nas mãos e o masturbando. Não passamos disso, até que surgiu a oportunidade de ficarmos um pouco mais intimamente. Ele vem até minha casa, onde estávamos marcando há um bom tempo de nos encontrarmos. Só que ele prefere esperar lá embaixo no seu carro, enquanto eu me preparo e entro no banho. No que termino de me arrumar e desço até seu carro, ele já estava com o pinto pra fora e se masturbando.  A intenção era só oral, mas bem que ele queria ter me comido. Ele apesar de ser bem inexperiente na relação homossexual, ele soube agir do jeito que gosto, colocando e tirando o pinto da minha boca numa velocidade agradável e falando algumas besteiras do tipo: “me chupa, viado”. Ah, o final ele goza na minha boca e pede que eu engula seu leite. Depois do feito, ele vai buscar sua namorada no serviço. Que coisa linda!


Quando ele chega ao meu apartamento, eu senti que o conhecia de algum lugar, mas não me lembrava de onde. Bom, deixei rolar a situação entre a gente e foquei no programa, mas isso não impediu que continuasse com a pulga atrás da orelha tentando lembrar de onde o conhecia. Ele chega a fim de conversar, um pouco tímido, mas nada que pudesse interromper o clima que rolava entre a gente. Na conversa, ele me diz ser Padre e que estava indo embora da região por não ter noviços por aqui. Não entendi o que ele quis dizer, e nem perguntei mais sobre isso. Ele me pareceu alguém bem devoto, então, fiquei com uma dúvida de como ele agiria numa relação sexual. Será que ficaria clamando o nome de Deus pedindo perdão pelo pecado da carne? Não sei, porque não deu tempo para descobrir. Não sei como ele conseguiu fazer isso, mas quando encosto minha mão em sua perna, ele acaba gozando, soltando um gemido que, com certeza o prédio todo ouviu. Juro, tento imaginar tamanha força que alguém pode fazer para conseguir gozar sem penetração e a ajuda das mãos. 


Leia Mais ►

sábado, 28 de dezembro de 2013

FALA DE MIM E PENSA EM MIM 24 HORAS POR DIA.

Meu beijo de hoje vai para VOCÊ, que vive dizendo que não me suporta, mas todo dia tá visitando meu blog. Obrigado por este carinho tão grande e, por aumentar meus acessos.




Se você deixar de fazer tudo o que criticam, nunca fará nada. Então, continuem criticando, pois cada crítica feita, é uma nova meta para alcançar!!!

                    


                       


 Boa tarde. #HiagoWaldeck



Leia Mais ►

domingo, 22 de dezembro de 2013

MELHOR DA SEMANA: "AMOR DE CARNAVAL"

Há exatamente cinco anos atrás, quando ainda estava recém-chegado aqui na cidade, conheci o Fe, que acabou sendo o meu primeiro ‘amor de carnaval’. Se me pedissem para comer um caminhão de merda por ele, eu comia. Era apaixonado, fascinado, louco por ele. Foi no carnaval de 2008 que o conheci, foi meu primeiro carnaval na cidade, um dia que nunca me esqueci. Lembro-me que no dia, estava na rua com um amigo e vi o Fe de longe. Era impossível não ficar admirado com sua forma física e beleza, alguém másculo e bem discreto. No que tinha o visto parado na rua olhando a banda que estava tocando no palco, logo pensei que seria muita sorte ficar com alguém feito ele. Na época ainda não sabia diferenciar quem são e os que não são gays, então, ele estava sendo alguém que eu achava ser hétero. Depois de muito admirar, resolvi ir embora com meu amigo. Os carnavais aqui na cidade nunca foram animados. No caminho de casa, meu amigo resolve mexer com o rapaz que estava na nossa frente, e pra minha surpresa era ele, o Fe. Eu fiquei com medo de ele nos bater, sei lá... Mas não foi isso que aconteceu e ele começa a dar liberdade para as investidas de meu amigo. Juro, fiquei me remoendo de inveja quando meu amigo vai atrás dele, depois de perceber que ele havia gostado das indiretas que mandava. Como ficaria sozinho em casa, resolvi dar mais um tempo na rua, até que, para a minha surpresa, meu amigo vem atrás de mim e diz que o Fe estava a fim de ficar comigo. Bingo!!! Ganhei minha noite.
Passamos três dias em sua casa. Três dias trancados e fazendo sexo. Nossa, estava muito bom, estava o curtindo muito. Eu bem que tentei ir embora, mas ele não deixava, e eu, adorava a situação, pois ele estava sendo o primeiro carinha Top de linha que estava ficando e que estava me desejando.
Nos tornamos amantes, ficando quase que com frequência. Mas com o tempo perdemos contato e ficamos um bom período sem nos falar.

Esses dias eu andei o encontrando pelas ruas e a saudade bateu forte. Tentei me aproximar, mas não deu. Até que, pra minha surpresa, acabamos nos encontrando pela internet e começamos a conversar. Resumindo: Eram 2hrs da manhã, acabei pegando um táxi e indo para sua casa. Eu achei que muita coisa tinha mudado e amadurecido. Só que, não. Chegando lá, continuamos do mesmo jeito que éramos antes, com os mesmos papinhos bobos, jeito de criança e atitudes paranoicas. Não estou criticando, porque foi exatamente isso que rola entre a gente que me fez ficar ‘xonado’ por ele. Ele está bem mais forte e encorpado. O mesmo disse sobre mim, que acabou comendo minha bunda e me aconselhando de dar aos outros, ainda mais agora que está grande rsrs. Foi bom poder conversar e ouvi-lo falando da época que eu era magro, tinha a barriga reta de tão seco que eu era, do nosso encontro no carnaval, nossos dias trancados dentro de casa, dos meus pelos do peito que ele gostava e hoje não tenho mais, da minha cara de bandido, enfim, de tudo de bom que aconteceu naquele dia. Ficamos uns três ou quatro anos sem nos vermos. Foi bom encontrá-lo, apesar de que, não estava a fim de comê-lo, mesmo assim, ele acaba me traçando haha.


Leia Mais ►

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

PERFEITO. ..

Uma coisa é certa: 'Eu só consigo me satisfazer sexualmente por completo com alguém, quando o sexo é 0800'. Tem, sim, clientes que me deixam cheio de tesão, mas são os gratuitos que me excitam mais. Quando saio com alguém na base do ‘free’, é por eu estar a fim de ficar com quem eu quero, e isso, chega a ser um estímulo a mais. Foi essa vontade que me fez sair de casa para me encontrar com o anônimo. Na verdade, eu não estava com tanta vontade assim, menos ainda tesão, mas saí na intenção de que poderia ser uma noite boa com alguém que iria conhecer. Ele me deu as coordenadas para chegar até onde mora. Compromissado, ele fez de tudo para não ser visto e levantar suspeitas. Quando cheguei ao local onde mora, ele não vai me buscar na portaria, apenas abre o portão e diz o andar que mora. Logo quando saio do elevador, vejo uma porta aberta com uma mão acenando, me chamando. Entro e levo o maior susto. Ele estava camuflado, com seu rosto coberto para que assim, não fosse revelada sua verdadeira identidade. Fiquei com medo e, logo pensei na possibilidade de um assassinato. Ele me coloca sentado numa cadeira e tira seu pinto pra fora, para que eu chupasse. Mesmo empolgado com seu pinto na minha boca, fiquei cismado achando que fosse sacar uma arma ou me dar uma coronhada na cabeça. Com o tempo acabei me soltando e viajando na fantasia de ficar com alguém que se escondia para não ser reconhecido. Ele parecia um marginal com aquela camisa enrolada na cara, o que me excitou muito, depois que me senti mais à vontade.
Além de um pinto grande, ele também curtia tapas. Os primeiros foram bem de leve, mas depois eu disse que poderia carregar um pouco mais a mão na hora de me bater. Começa a dar tapas em minha cara, comigo sempre revidando. Hora chupava seu pinto, lambia seu saco, fazia com que me prendesse entre suas pernas e me apertasse, mordia seus peitos, seu pescoço, queixo, braço e por aí vai. Pra ficar completo, faltou o beijo na boca. Coisa que não rolou, apenas deixou rapidamente encostar minha boca na sua por cima da camisa e, mesmo assim, jogo rápido. Foi o primeiro que fico e sinto prazer em lamber os pés, ser pisoteado e levar chutes (bem de leve) no rosto. Estava realizando todas as minhas taras com aquele cara, faltou apenas pedir que mijasse em mim, aí, sim, seria um final bem feliz.
Lado Bom: Estava cansado de chupá-lo sentado, então, ele se deita e eu por cima começo a chupar, até ele gozar na minha boca.
Lado Ruim: Ele não se mostrou e evitava falar muito, tudo na intenção de continuar no anonimato. No mínimo deve ser alguém conhecido, porque este medo todo, não é só pelo fato de ter namorada.


Leia Mais ►

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

ACORDEI SEM LEMBRAR, SE VIVI OU SE SONHEI



Vassouras - RJ


Um dia longe de casa, longe de Resende, a fim de conhecer novas pessoas e lugares, foi pra mim um dia especial. Um dia repousando em Vassouras, foi tão relaxante que, me senti como se eu tivesse tirado um mês de férias. Acabei indo para a casa do Biel, onde a intenção foi de nos conhecermos e passarmos o domingo juntos. Acabou sendo melhor do que imaginava, curtindo a vista de sua casa, contemplando a cidade e claro, nos curtindo muito.
Estava tão encantado que, em alguns momentos eu ficava quieto, desta vez não só admirado com a beleza da cidade, mas a do Biel, que é muito lindo. Em momentos assim fico pensativo, mas só atraindo coisas boas, esquecendo os problemas e pessoas que atrasam nossas vidas. Estou encantado até agora, sem palavras para expressar o que senti e vivi naquele dia. Tudo perfeito, só tenho isso à dizer.



Um dia inteiro de prazer. À noite ainda saímos para uma pizzaria da cidade junto com uma amiga dele. Cidadezinha pequena, mas que me encantou muito, parecia que estava respirando um novo ar, me deixando com muita paz. Biel me deixou bem à vontade. Dormimos juntos, conversamos bastante, namoramos... Não vejo a hora de vê-lo de novo.

Eu tinha combinado de ir para Volta Redonda, mas o pessoalzinho de lá... Bom, sei lá. Eu estava querendo alguma coisa diferente, algo melhor do que ficar em casa e passar à noite acordado o vendo dormir como todas as vezes que vou para Volta Redonda.
Biel e eu dormimos abraçadinhos, coladinhos e sarrando a noite toda. Ele gosta de falar, não parava um minuto sequer, sempre falando dele e todos a sua volta. Mostrando fotos e dando detalhes de quem são as pessoas nelas. Divertido e estranho, ele me mostra fotos de pessoas e, algumas delas, conhecidos meus. Mundo pequeno, né? Rsrs.

Sabe aquela imagem de fundo do Twitter, onde aparece a cidade iluminada ao fundo e algumas pessoas num terraço de prédio olhando? Então, à noite, na casa dele, foi a mesma coisa. Deitados no quarto, tinha a vista da cidade e, quando anoiteceu, foi outra surpresa, a cidade iluminada, com algumas casas enfeitadas com luzes de natal. Lembrava muito a tela de fundo do Twitter. Lindo!

Sou do tipo que fico encantado com esse tipo de situação. Me levar para um lugar assim, me conquista fácil.



Leia Mais ►

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

VISITA AO ASILO E UM POUCO MAIS SOBRE HIAGO.

 Minha manhã começa de uma forma triste e ao mesmo tempo gostosa. Resolvi fazer uma visita ao asilo aqui da região. Eu sempre me imagino no fim da vida. Como será eu daqui há uns 30 anos? Vivo, morto ou abandonado? Ir neste lugar me fez ver o quanto as pessoas não se importam com as outras, mesmo sendo da família ou não. Fiquei feliz por ver o sorriso no rosto das pessoas que estavam lá e que há tempos não recebiam visitas. Ao mesmo tempo fiquei triste, imaginando os motivos que as famílias dos idosos tiveram para deixá-los abandonados ali. Minha mãe se tivesse viva, estaria comigo, com certeza. Nunca me imaginei a colocando num lugar desses, e pra ser sincero, nem teria coragem. Cheguei a pensar que a pessoa fosse alguém sem caráter na vida e por isso está pagando seus pecados ali, mas nem todos tem uma história assim pra contar. Muitos ali foram pessoas sofridas, que não tiveram o apoio de ninguém. Fui fazer esta visita, porque eu poderia estar vivendo uma situação assim, parecida com a deles, como na época que procurei vagas em albergues por não ter onde morar e sem a ajuda de ninguém.


Algo que está sendo bem difícil de os outros entenderem ao meu respeito, é o fato de eu trabalhar e ganhar a vida como puto. Já expliquei várias vezes o motivo, mesmo assim, recebo mensagens de pessoas querendo entender melhor esse personagem Hiago Waldeck.

Gosto de trabalhar. Trabalho pra mim, é uma forma de mostrar aos meus familiares que estou na ativa e ganhando trabalhando honestamente. A prostituição que rola por fora, é como se fosse um complemento para eu pagar minhas contas e viver do jeito que sempre quis. Já pensei em abandonar a prostituição e viver só com o dinheiro do comércio onde trabalho, mas o medo bateu forte, quando me lembrei que, mesmo trabalhando, eu passava necessidades.
 Por outro lado, já pensei em viver só na prostituição, mas o medo de não saber o dia de amanhã me fez perder a segurança de ter o dinheiro fácil. Hoje estou bem, mas e amanhã, como seria se eu dependesse só do dinheiro do sexo e ficasse impossibilitado de fazer programas? Trabalhar com carteira assinada, bem ou mal, me dá uma segurança no fim da vida. Por isso não abro mão de trabalhar fichado, mesmo que seja cansativo viver duas vidas quase que ao mesmo tempo.

Acho corajoso pessoas que resolvem viver na prostituição, sem ter o medo de ficar doente no dia seguinte e não ter nenhum benefício do governo, como a aposentadoria. Tá certo que, não é lá grandes coisas esse dinheiro que ganhamos do governo, mas quebra o galho.



                       

Boa noite.



Leia Mais ►

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

ROTINA



Ontem passei a tarde toda no shopping com meus dois amigos de serviço, Paty e Pete. Um dia perfeito agindo como o garoto por trás do Hiago. Dia normal de gente normal. Comendo, indo ao cinema e em lojas. O clima chegou a esquentar quando conheci o Paquito. Alto, forte, branco e louro, com poucos cabelos grisalhos. Uma visão perfeita do que busco pra minha vida. Um viado conhece o outro e, quando o vi andando pelo shopping, não tive dúvidas de que seria alguém bem interessante para "chegar" junto. Ele não disfarça quando passa por mim à caminho do banheiro e me encara bem nos olhos. Um convite certo de que estaria a fim de alguma coisa. Minha amiga presente percebe a manifestação e me diz para ir até o banheiro. Juro, cheguei a ficar sem graça, com vergonha. Mesmo assim fui. No banheiro havia muita gente, não dava pra ter muita aproximação. Fiquei me lavando na pia, enquanto ele, estava atrás de mim, se lavando em outra pia e me olhando pelo espelho, diretamente pra minha bunda, até que, ele resolve acenar com a cabeça. Saí, enrolei e ele também, mas depois voltamos ao banheiro, onde entrei no box e o esperei. Ele já chega com o pinto pra fora, levantando a camisa e dando seus mamilos para eu chupar. Enquanto chupava, apertava seu pinto, acariciando com muita vontade de pôr na boca. Não deu muito certo, pois outros viados estavam presentes no local e tinha percebido nosso "esquema" e, mesmo que não tivesse percebido, eu não gosto de fazer parte desse grupo de banheiro, sabe? Até poderia ter rolado, mas no banheiro, ontem, não estava afim. Disse a ele que não daria, que seria melhor lá fora e ele concorda. Mas seu jeito meio que disfarçando me disse que ele estava acompanhado.
Lado Bom: Me diverti e aproveitei bastante com meus amigos Paty e Pete.
Lado Ruim: Fiquei com vontade de ficar com o paquito. Mas não deu mais.

Conheci um guarda de trânsito que me fez ficar com muita pena dele e quase que faço um Black Friday prorrogado com quase 100% de desconto. Em nossa saída, não conseguimos fazer muita coisa e, meu nervosismo me travou de conseguir dar o prazer que ele buscava. Vou explicar o motivo. Ele tinha o pinto bem pequeno, impossível de fazer alguma coisa com ele, porque o tamanho realmente atrapalhava. Na hora de masturbá-lo, tive que usar a ponta dos dedos, porque com minha mão fechada, seu pinto se escondia dentro dela, do mesmo jeito que uma formiga sumiria se eu estivesse pegando. Na hora do sexo oral foi outro constrangimento, seu pinto tinha muitos pentelhos e quase desaparecia no meio deles, a única coisa que eu senti foi coceira no nariz devido seus pelos ficarem roçando no meu rosto, pois seu pinto, no momento em que resolvi chupá-lo, não chegava nem perto do céu da boca na hora do boquete, de tão pequeno que era. Ele queria continuar, queria tentar me comer e agia de tal forma como se o tamanho de seu pênis não fosse problema. Nunca me importei com tamanho, já fiquei com outro rapaz com esse mesmo estilo e que foi ótimo como passivo, só que, o problema desse, é que não estava a fim de dar e sim comer. Não rolou, a camisinha ficou muito grande pra ele, e encaixar em um cu apertado (sim, o meu é) não seria algo simples. ''É mais fácil uma agulha passar pelo buraco de um camelo do que ele conseguir me penetrar''.
Lado Bom: Fiquei sem saber o que fazer. Ele me parecia ser uma boa pessoa e quando isso acontece, procuro fazer de tudo para não magoar. Só que, fiquei com muita pena dele e nesse momento, não soube o tipo de atitude que eu poderia estar tomando. Nos outros casos foram bem simples de serem resolvidos, porque a pessoa mesmo não me comendo, acabou sendo passivo comigo.
Lado Ruim: Meu nervosismo foi maior do que o nojo que eu sinto quando estou colocando um pinto grande e fino na boca. Sabe aquele nervosismo que se sente quando aparece alguém assim? Senti isso, mas de uma forma digamos que ''carinhosa'', pois ele até pode ter o pinto pequeno, mas tinha o coração grande. Não ia cobrar, pois realmente não fizemos quase nada, mesmo assim ele insiste em pagar.


Leia Mais ►

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

EU NO SITE "CURTE TUDO"

Boa tarde, amigos e leitores.

A cada dia que passa, recebo convites para entrevistas. Quem me conhece sabe, eu adoro aparecer e ser o "centro das atenções". Aqueles 15 minutos de fama que muita gente sonhou, não é mesmo? O site Curte Tudo fez um artigo muito bacana sobre mim, onde eu acabei me divertindo bastante recordando de alguns relatos que eu havia publicado no blog.

Com o título O diário quase secreto de um garoto de programa ,  ele resume de forma bem clara minha trajetória desde minha chegada a Resende até os dias de hoje. Confira! Clique >>Eu no site Curte Tudo <<

Obrigado a todos por me ajudarem a crescer cada dia um pouquinho. Obrigado a você, por me criticar e sempre me ofender achando que me prejudica, mas na verdade me ajuda.




Leia Mais ►

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

NOVA PÁGINA NO FACEBOOK



Resolvi fazer melhorias em minhas redes sociais. Resolvi criar uma nova página com o meu próprio nome. Acho justo. Espero que possam curtir e me acompanhar por lá, será um prazer.

Hiago Waldeck página no Facebook. 

Boa tarde. Logo mais eu volto.






Leia Mais ►

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

NOTA



As pessoas me criticam, porque criticar é a forma mais fácil de fazer melhor. Não me venham com comentários e papinhos absurdos pra cima de mim, não dou a mínima pro que dizem e pensam. Outra coisa, alguns precisam treinar mais suas desculpas quando vem de mentiras pra cima de mim. Nesse tempo que passei fazendo programa, conhecendo homens e casais, acabei aprendendo todas as desculpas que cada um dão para seus parceiros na hora de se encontrar comigo. Então, aos meus amigos, colegas e clientes que estão a fim de mentir pra mim na intenção de ganhar ou me fazer de bobo, vão ter que agir de forma bem melhor .

Você que acha que não vou ir longe, só digo uma coisa: me observe!

Boa noite #HiagoWaldeck


Leia Mais ►

sábado, 16 de novembro de 2013

FODA-SE!!

Eu estava com tudo preparado para comentar sobre minha semana "fodastica" com meus clientes, amigos e afins, mas algo chamou minha atenção e me fez mudar de ideia, a fim de comentar mais uma vez sobre o preconceito que rola na região.

Juca marca um encontro comigo. Por telefone, ele não esconde seus problemas de saúde e assume ser portador do HIV. Fiquei sem saber como reagir a isso, sem saber se vou ou não vou. Joguei limpo e disse que estava com receio, porque mesmo usando camisinha, pode, sim, acontecer acidentes indesejáveis. Ele diz que não preciso trepar com ele, que uns beijos estaria de bom agrado. Fecho o negócio com ele e combino o lugar que nos encontraríamos. Aí ele me revela que não queria ser visto comigo, por medo de ser mal falado na cidade. Juro, não entendi seu medo de ser visto andando com um garoto de programa na rua, sendo que ele, com HIV, pra mim não faria diferença de ser visto ou não comigo. O meu medo foi do contato sexual com ele e não de ser visto com um aidético na rua.

Se eu voltasse no tempo, na época em que passei necessidade e pedisse ajuda a estas pessoas que hoje me condena, será que eles me ajudariam? Criticar uma atitude de alguém que faz as coisas por necessidade é fácil. Não me envergonho de ser o que sou, porque foi isso que impediu que eu passasse fome. Estou cagando para a opinião das pessoas daqui, que se for de analisar bem, são pessoas com o passado bem mais negro que o meu, e hoje, aponta em mim defeitos que estão neles. Me criticar por fazer programas e ter a imagem "queimada" é fácil, mas e você, que vai para a balada e pega 6 na mesma noite, se acha melhor que eu por ter feito putaria e agido com promiscuidade sem cobrar nada? A pessoa que me critica, é a mesma que fez ponto na rua, a mesma que tem AIDS, a mesma que sofreu bullying  pelo seu jeito afeminado, mas mesmo assim, não satisfeito, quer deixar de ser o centro das atenções e falar mal de outros.

Racismo: Esta semana tive uma surpresa ao ver pessoas aqui na região com atitudes racistas. Na verdade não chega a ser surpresa, pois é algo que já espero de pessoas aqui. Com a modernidade nos aparelhos telefônicos, acabei conhecendo vários aplicativos de celular, incluindo o Zello, que funciona como se fosse um Rádio Nextel e você pode manter contatos com pessoas e grupos de todos os lugares. Adicionei um grupo de Volta Redonda e para a minha surpresa, me fez ter mais nojo das pessoas. Um dos usuários cria uma conta e coloca a foto de uma criança pequena e negra no perfil. Esta mesma pessoa ataca as outras com piadas e palavras de racismo, dizendo sentir nojo de quem é negro e afirmando que em Volta Redonda tem muitos "pretos" e que sentia pena por serem assim. Eu deixei o som deles ligado, pois achei ridículo o que eles estavam fazendo e, ouvir cada palavra de preconceito, foi bom para eu não me esquecer da raiva que sinto destas pessoas.
O que isso iria acrescentar na vida deles? Entrar num grupo com fotos de criança agindo com preconceito não o fez melhor que ninguém, que pela voz, percebia que se tratava de dois rapazes gays (falava muito mole) e crianças, pois falava e agia como tal.

Uma pessoa que defende o direito das outras, que defende quem realmente precisa, esta sim, eu sentiria vergonha se viesse me dizer algo, pois este tipo de pessoa são as que tem moral para falar das outras. Mas não fazem, pois estão cuidando de suas vidas.

Você que tem vergonha de andar com um garoto de programa ou até mesmo um negro na rua, saiba que em algum lugar, tem alguém com o mesmo pensamento que o seu sobre você, pois tenho certeza de que sendo gay, seu passado te condena tanto quanto o meu e isso não me faz melhor. O gay já sofre preconceito todos os dias, agora a porra de um viado com preconceito e vergonha de outro, é sacanagem. Na boa, tem momentos que sou a favor de tacar lâmpadas na cara de alguns! Ao invés de falar coisas na intenção de ajudar ou protestar contra estes otários que agem com preconceito, não, eles preferem atacar e falar mal de quem ganha a vida de uma forma honesta e sem prejudicar ninguém.


Leia Mais ►

terça-feira, 12 de novembro de 2013

RAPIDINHA...

Demorei, mas consegui buscar a camisa que ganhei de presente de aniversário! Fui à Volta Redonda na casa do Rei pegar meu presente e a cueca que esqueci desde a última vez que estive lá. Era domingo, dia tranquilo e se me lembro bem, eu estava com o meu apetite sexual em alta, mas muito enjoado por sair com pessoas que tem o mesmo perfil, sem nada de diferente. Tô me sentindo como se estivesse comendo arroz e feijão todos os dias. Preciso mudar algo.

Chego em Volta Redonda e fico esperando o ônibus para ir até a casa do Rei. Sendo dia de domingo, eles acabam sendo bem mais demorados, e como já estava ficando tarde, o jeito foi pegar um táxi. O taxista era muito louco, gente boa, mas corria muito e xingava todo mundo que dirigia de forma errada. No caminho ele foi me falando de sua vida, seus casamentos e puladas de cerca. Enfim, era apenas uma conversa normal. Chego ao meu destino e procuro o dinheiro para pagá-lo, e quem disse que eu encontrava a grana. Revirei minha carteira, bolsos e nada de eu achar, comecei a ficar sem graça e com medo de ele arrumar confusão achando que eu estava dando golpe. Não achei, sendo que tinha certeza de que estava com dinheiro na carteira. O taxista até que paciente, me diz: “e aí, o que você pode fazer por mim?” eu tento contornar a situação dizendo que poderia me levar em algum caixa eletrônico que pegava o dinheiro, mas ele diz não ter caixa ali por perto. Nisso ele começa a alisar o pinto por fora da calça e diz: “se você me chupar estamos quites”. Ele tira seu pinto pra fora e o jeito foi chupá-lo.
Lado Bom: Não foi problema algum fazer isso, pois ele era bonito e bem dotado. Fiquei muito excitado enquanto o chupava. Ele é paraibano, seu sotaque e forma máscula me deixava estimulado.
Lado Ruim: Minha mochila é pior do que bolsa de mulher, toda bagunçada e se encontra de tudo dentro dela. No que termino de fazer o “pagamento” nele, eu encontro o dinheiro jogado em um bolso da mochila junto com meu carregador e várias outras coisas perdidas.

Gente, que calor do cão! Nesta madrugada, parecia que eu estava dormindo de conchinha com o capeta, pois tava muito quente.

Boa noite...




Leia Mais ►

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

PESQUISA PARTICULAR - #HiagoWaldeck


Estava fazendo uma pesquisa, quase que uma “matéria” para uma suposta teoria dos nomes. É o seguinte. Muitos afirmam que, pessoas que levam o nome de Henrique ou até mesmo Paulo Henrique, são pessoas que não prestam, pessoas safadas, sabe? Andei pesquisando relacionamentos antigos e cheguei à conclusão de que, é verdade, o nome realmente faz a personalidade e quase que o caráter da pessoa (e que Henrique ou Paulo Henrique são pessoas psicopatas).
Andei com uma campanha no Twitter #EuNãoGostoDeMarcelo, por simplesmente ter conhecido vários "Marcelos" na vida e eles terem agido da mesma forma sacana e sem noção comigo. Um dia, um conhecido me apresentou um Marcelo, até brinquei com ele dizendo que chega de Marcelo, pois ele havia me apresentado, antes desse, um outro cara com o mesmo nome. Vamos aos fatos que me levaram a tirar estas conclusões.
 

Marcelo, pra que te quero?


O primeiro Marcelo:
Cara de bom coração, me ajudou muito quando precisei. No quesito boa pessoa, ele ganha. O problema foi quando começou de mentiras pra cima de mim, coisas que só descobria quando brigávamos (quase sempre) e sem querer ele revelava o que tinha feito ou aonde foi sem me avisar. Sendo que pra mim, dizia estar em casa.

O segundo Marcelo:
Jeitosinho, eu digo que ele é aquele feio arrumado, mas que gostava e muito dele na época em que fomos namorados (ficantes, sei lá). Aquilo que eu sempre digo: “quando falo estar apaixonado por alguém, pode ter certeza de que, a pessoa não presta”. Nunca tive sorte e pra piorar, tinha que se chamar Marcelo. Ele do nada sumiu da minha vida. Não atendia telefone e deixava desculpas prontas com sua família, caso eu ligasse para sua casa.

O terceiro Marcelo:
Este já é bem mais bonito, simples e do jeitinho que gosto. Desde nosso primeiro encontro, senti uma química boa, como se fosse algo que iria durar por muito tempo. Ele parecia interessado e a fim de estar comigo, mas com o tempo, ele foi dando “prioridades” a coisas na qual eu não estava envolvido. Começou com mentiras pequenas até chegar ao ponto de eu me estressar e ficar o tratando mal.

RESUMO: Percebeu a semelhança entre todos eles? Não?!? Todos sempre agiram da mesma forma, ou seja, sempre mentindo e arrumando desculpas para fazer outras coisas escondidos. Se o nome de Jesus tem poder, acho que Marcelo, Paulo e Henrique também têm a mesma influência. Mas de uma forma negativa.

Mas os “Paulos” também não ficam de fora nessa lista.


O primeiro Paulo:
Bonito, alto, branco e casado com uma mulher fantástica. Mas nas horas vagas ele não dispensa uma pulada de cerca, sempre levando camisinha escondida debaixo do banco do carro para que sua mulherzinha não descubra.

O segundo Paulo Henrique:
Professor em outra cidade, coroa sem charme e beleza. Casado, com filhos e cheio de amantes por fora. Com ele é só pagando, pois o bicho é feio!

O Henrique:
Estava apaixonado, mas cheio de preocupação com minha vida, que na época, não andava fácil. Pedi a ele um tempo para eu me organizar e resolver situações críticas que eu passava, incluindo problemas com grana e alimentação. Ele não aceita esse “tempo” que pedi e me condena por recusar ser seu namorado. Tempos depois, ele começa a namorar e a falar mal de mim para seu namorado, que espalha a fofoca sobre eu ser garoto de programa e fazer ponto na rodoviária. Nunca mais falei com ele. Ah! Ele quando me conheceu, estava namorando outro cara.

São três nomes de pessoas que já me envolvi e não deu certo. Pessoas que, pra mim, não podem ter esses nomes, pois sei o resultado no final de tudo. Como eu disse, Paulo Henrique e Henrique são os nomes mais comuns que o povo diz ser de gente “tentada”, agora, Marcelo, eu acrescentei na lista por experiência própria.

Alguém me apoia ou é contra essa minha teoria?

#HiagoWaldeck

 
Leia Mais ►

domingo, 3 de novembro de 2013

SEU TEMPO COMIGO JÁ ACABOU FAZ TEMPO!


A última vez que nos encontramos foi há uns cinco anos atrás, mais ou menos. Lembro-me que estava quase que recém-chegado na cidade e na época, viciado em salas de bate-papo. Conheci o Luciano, cara maneiro e cheio de vida. Ele morava aqui na região e sempre me levava para sua casa, onde tínhamos nosso momento de sexo. Eu gostava dele, não só na cama, mas como pessoa. Como não é novidade, ele queria somente sexo, sem compromisso emocional, mesmo que envolva amizade. Com o passar do tempo ele se afasta, não me atende e nem responde no MSN. Ele havia sumido!

Estava na rua, andando perdido na madrugada. Acabei encontrando uns amigos de programa fazendo “ponto”. Mas não parei com eles muito tempo. Essa fase de putaria na rua, pra mim, já passou. No caminho um carro passa perto e vejo que o motorista me olhava. Eu estava andando quase que junto de uns cadetes e, na hora, achei que tivesse olhando os garotos, e não eu. Os garotos passam por mim e o carro encosta, buzinando para que vá até ele. Chego na janela do carro e já o reconheço, era o Luciano. Ele me convida para uma volta. Eu aceito. Percebi que ele não se lembrava de mim, pois começou com um papinho de “apresentação”, como se estivesse querendo me conhecer e saber sobre mim. Comecei a achar graça, pois eu me lembrava dele muito bem. Demorou um pouco, mas ele acaba se recordando de mim, lembrando da tatuagem que tenho nas costas. Elogios não faltaram, a todo o momento dizendo que eu era simpático. Hahaha, já sabia onde isso ia parar.

Acabamos indo para o motel. Antes já tinha avisado que não faríamos nada e ele concorda. Conversamos, ficamos à vontade e ele me apertando tentando me seduzir. Confesso que o tesão que eu sentia acabou na época que ele me dava “gelo”, hoje, resolvo sair só por diversão, mas não com ele e, sim, com a cara dele. Ele teve a chance, mas desperdiçou. Disse que na época estava na fase de rebeldia e hoje se encontra mais maduro. Tá, sei... Ah, como ele me elogiou dizendo que estava bem mais bonito e diferente de antigamente, há 5 anos atrás quando era magrelinho e esquisito, usei disso para me “valorizar”. Na boa, se eu estou sendo tudo aquilo que me disse, por que eu sairia com alguém feito ele? Não disse isso, mas tentei fazer com que pensasse assim.
Lado Bom: Ele queria passar à noite comigo. Eu menti que tinha visita em casa me esperando.
Lado Ruim: Não gostei de seu beijo, não gostei do seu pinto e de nada que veio dele. Teve certos momentos que começou a lamber minhas costas e eu até gostei.  Mas agora quando cheguei em casa, estava fedendo pura saliva. Que nojo!
OBS: O estranho é que, antigamente eu era apaixonado pelo seu beijo, pinto e tudo que vinha dele. Bom, isso antigamente.

 
 
Terminou numa punhetinha rápida. Não estava mesmo a fim de algo com ele. Anotei seu número de telefone, mas sem garantia de que eu vá ligar. Ele até me pediu desculpas pelo que aconteceu no passado, me garantindo ser melhor agora. Hum, acredito! Resende surpreende haha.

Leia Mais ►

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

QUEM INSISTE EM ME CRITICAR, FARIA DE TUDO PARA ESTAR NO MEU LUGAR...




Odeio quando alguém conhecido marca uma festinha a três comigo e acaba levando uma pessoa que não sinto tesão ou simplesmente não vou com a cara. Hoje, o Matheus me chama para participar de uma festa, onde ele estaria levando um “viadinho” (palavras dele) para ser comido. Minha curiosidade fez querer saber quem era esse outro cara que ele estaria chamando. Ele me manda o Facebook dele e aí vejo quem é. Não tem a menor chance de sair com aquele cara por vários motivos.

·         Se eu já sou “queimado” pela minha fama na cidade, ele consegue ser pior do que eu. Todos aqui sabem quem é ele. Se parar na rua e perguntar seu nome, vão dizer: “o viadinho que você tá falando?”.

·         O cara joga vôlei e é muito sem conteúdo. Alguém tão normal que se sente o máximo.

·         Sem contar que ele é um daqueles que vivia me mandando mensagens dizendo coisas do tipo: “você é uma vergonha pra sua família”. O engraçado, é que um de seus parentes é conhecido por ser bandido. Isso seria motivo de orgulho?

·       Minha “má fama” é conhecida por ter um blog e relatar putarias ou coisas promíscuas como eles dizem. Já ele, tem a fama de fazer programa na Beira-Rio ou em saunas da região. Tão podre quanto eu e ainda quer me esculachar.

Lado Bom: Não precisei me sujeitar a isso.
Lado Ruim: Não desejo seu mal, apenas gostaria que do nada ele parasse de respirar.
...

Estava na expectativa de minha entrevista sair no mês passado, mas pelo que me disseram, talvez saia só ano que vem. A responsável pela entrevista disse que será enviada para a revista e só depois de algumas análises será divulgado. Por ser uma entrevista científica, acaba sendo algo bem demorado. Bom, estamos aguardando.
...

Era só o que faltava. Já não basta ter de viver num país onde os gastos com futebol é maior do que com a saúde, morar numa cidade onde a única coisa que vai pra frente é a barriga do povo e beber Coca-Cola com rato, temos que dividir leito hospitalar com esses roedores.

roedores passeando tranquilamente pela mangueira do ar condicionado do lado de fora da sala de farmácia do Posto de Saúde do bairro Manejo, em Resende. (Portal: Jornal Beira-Rio)





Leia Mais ►

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

EFEITO BRUNA SURFISTINHA...


Fiquei “feliz” quando vi meu nome sendo citado entre outros cinco garotos de programas em um site que estava “avaliando” cada um de nós. Fiquei contente por ter entrado nessa lista, mesmo sabendo que eu, era o menos conhecido deles. Por outro lado, fiquei sem graça, porque realmente os outros garotos que foram citados, eram garotos que já tiveram sua marca registrada na mídia. Eu era o único “anônimo” entre eles. Tem muitos outros garotos de programa que são bem mais conhecidos que eu e, mesmo assim, acabei tendo minha participação nessa avaliação. Falem bem, falem mal, mas falem de mim. Não dou a mínima para a opinião dos outros, mas algo que me incomodou bastante, foi ver entre os comentários, clientes/leitores comentando e ofendendo os garotos que foram citados (milagre não terem me ofendido). Um dos garotos que mora em Araçatuba, citado no site e meu amigo (pelo menos eu o considero), foi vítima de um desses leitores babacas que estava incomodado com o sucesso do garoto. Acho ridículo estas pessoas perderem tempo em ofender e gastar minutos de suas vidas falando mal dos outros. O lado bom, é que nos agredindo dessa forma, aumentamos ainda mais nosso status, ficando mais conhecido.
Na boa, fiquei mais aliviado por saber que mesmo os outros sendo mais “famosos” que eu, também receberam críticas por sua forma de escrever. Como eu havia dito, eu não estou aqui para mostrar que sou intelectual, apesar de saber que escrevendo de “qualquer jeito” estaria dando ao leitor um presente sujo (frases do filme Bruna Surfistinha haha). Não sou inteligente e menos ainda escrevo certo (graças a minha educação vinda do interior de São Paulo), mas não estou aqui para falar sobre um conto formal ou o quanto bom com as palavras, vírgulas e pontos eu sou. Este é meu jeito, sorry J.

Só uma correção: No site, a informação que deram, foi que sou do Rio de Janeiro, quando na realidade sou de Arapeí (SP). Outra coisa que não gostei. Além dos garotos citados serem bem mais famosos/gostosos que eu, eles colocaram uma foto horrível minha entre a deles.


Leia Mais ►

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

CLICK...


Eu nunca havia tido contato com pessoas especiais portadoras da Síndrome de Down. Sempre soube que eram pessoas especiais, mas não sabia que, além disso, são pessoas carinhosas. Estava sentado no ponto de ônibus esperando minha condução para ir até a casa de um amigo. Do meu lado, se senta João Gabriel, um garoto de 4 anos de idade que é especial. Eu estava sério sentado, estressado por esperar tanto tempo pelo transporte. Mas minha fúria foi se acalmando quando João se senta junto de mim, pega meu braço e coloca em volta dele, querendo que eu o abraçasse. Foi um choque aquela situação, pois eu imaginava essas crianças especiais de outra forma, e não assim, tão amorosas e sendo espontâneas. Ficamos ali, sentados comigo abraçado a ele, como dois amigos. Ele estava acompanhado por uma responsável, acho que era avó que estava o levando a uma festa com crianças especiais. Que abraço gostoso! Era a demonstração de carinho que estava precisando. Gosto das minhas sobrinhas e sinto um carinho enorme por elas, mas juro, o abraço do João foi muito especial, bem mais gostoso do que o abraço das minhas sobrinhas.

Certas coisas acontecem para nos fazer lembrar de que, tudo poderia estar pior. Nada pra gente está bom, tudo temos que arrumar um motivo para reclamar da vida e de tudo que acontece, sendo que existem pessoas em situação pior que a nossa. 

 
Leia Mais ►

sábado, 5 de outubro de 2013

OI, GENTE!


Minha ausência esses dias, foi por eu ter ficado doente. Acabei comendo algo na rua que me deixou mal por dois dias. Muitos levaram a sério o que estava acontecendo comigo, mas outros acharam que uma boa surra de pica resolveria o meu problema. Coisa que eu detesto, é quando estou dizendo a verdade e aparecem pessoas distorcendo o que eu digo, como agora, pessoas a fim de vir me ver na intenção de sexo, sabendo que estou doente. Isso me “emputece!”. O Tchelo acabou vindo ficar comigo. Eu estava sem comer, ele me trouxe algo menos pesado e soro pra me hidratar.

Há muito tempo, quando dormia na casa de um carinha que eu ficava, nós sempre dormíamos com o rádio ligado ouvindo músicas. Eu achava aquilo tão gostoso, que acabou me despertando a vontade de fazer isso com alguém que eu tenha sentimentos, carinho de verdade. Parece pouco, mas são coisas assim que me fazem feliz e me deixa naquele clima de apaixonado. Parece bobo, mas é tão romântico. Enquanto ele estava aqui comigo, ele (sem eu pedir) foi selecionando músicas “deprimentes” (tristes, românticas) e as deixou tocando, enquanto eu viajava deitado em seu peito. Era o programa que eu esperava fazer com uma pessoa que eu gosto muito, mas como eu sei que ele é bem ignorante, não daria certo. Acabou saindo melhor do que imaginava, nós dois aqui, com ele cuidando de mim (na verdade tentou me matar, me fazendo comer salada). Foi perfeito, ajudou bastante pra que eu ficasse melhor. Eu tentei ir ao médico, mas nem perdi tempo em me consultar em Resende, pois sei que não seria bem atendido. Ia à Volta Redonda, mas minha coragem e corpo mole me fez ficar deitado o dia todo.

Acordei bem disposto, muito melhor e feliz pra caralho!

Bom dia, gente. Tô de volta!

Leia Mais ►

domingo, 29 de setembro de 2013

PREVISÃO DO TEMPO

A previsão hoje, era para ser um dia em que estaria falando mais sobre aventuras sexuais e quem sabe, um dia divertido. Mas algo me fez mudar. Acordei feliz, triste, não sei. Meus sentimentos ficaram confusos ao chegar no meu trabalho e sentir uma enorme vontade de dizer a todos o quanto me sinto feliz por tê-los por perto. Não sei se é carência que me bateu hoje, só sei que está bom do jeito que está. Meu jeito de agir acaba afastando as pessoas que me rodeiam, é algo que tento mudar, mas o medo de perder algo acaba me fazendo fazer besteiras.

É, acho que, o que estou sentindo hoje, é carência.

Boa tarde.

Leia Mais ►

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

PSICOSE DE UM GAROTO DE PROGRAMA

Eu, Hiago Waldeck, fiquei esperando a semana inteira (praticamente) ansioso para vê-lo, matar a saudade e o desejo de sexo que acabei tendo por ele. Só que às coisas não saíram do jeito que eu esperava. Estar com ele é bom, divertido, mesmo que "briguemos" e discutimos boa parte do tempo com coisas bobas, rola sentimento de carinho e um amor que me faz querer cuidar. Estava me sentindo muito excitado, sentindo falta de seu sexo, até que comentei meu desejo de estar com ele. Primeiramente, fiquei feliz que veio me ver e passar a noite comigo, mas não nego que pensei no sexo que poderia ter feito com ele. Não é prioridade, mas pra quem esperou tanto por isso, seria quase um prêmio. Não rolou o que eu esperava, logo após deitarmos e ficarmos abraçados, ele vira e dorme. Juro, fiquei o alisando na intensão de acordá-lo, mas não adiantou. Só não fiquei com mais raiva, porque ele antes de dormir me disse: "senti saudades". Passei a madrugada toda acordado, por alguns momentos irritado por não ter tido relação. Foi a mesma raiva que sentia quando namorava antigamente e o meu namorado me negava sexo. Na verdade não é raiva, e sim decepção por esperar algo tanto tempo e não ter. Se fosse em outra época, eu teria saído na madrugada, deixado ele aqui em casa dormindo e ficaria com outra pessoa. Sim, com certeza faria isso.
Lado Bom: Ah, matei a saudade e aquela "carência" por não ter alguém do meu lado.
Lado Ruim: Esperar ir embora para poder me masturbar e matar meu tesão? Ah, na boa, eu não preciso disso! Na mão, da próxima vez, eu não fico. Até minha punheta saiu ruim, não gozei do jeito que eu queria, do jeito que me deixasse relaxado e satisfeito. Ainda estou com tesão, e ele não está aqui. O que fazer? O jeito é atender o próximo da fila, porque gente a fim de verdade é o que não falta.


              



Leia Mais ►

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

TUDO QUE É BOM DURA POUCO, SABE POR QUÊ? PORQUE AS COISAS BOAS NOS FAZEM PERDER A NOÇÃO DO TEMPO...

Eu
A comemoração do meu aniversário não ficou somente nas mensagens e ligações que recebi do pessoal. Posso dizer que até hoje, estava em fase de comemoração, curtindo e aproveitando com a galera. Ainda no dia 22, meu aniversário, a galera do serviço fez uma surpresa pra mim, comprando bolo e fazendo uma festinha surpresa. Fiquei feliz com a atitude deles, e sem graça ao mesmo tempo, porque era algo que não esperava. Ainda nesse dia, outro amigo me faz outra surpresa, também me compra um bolo para comemorarmos. Eu estava bem, feliz com alguns presentes que ganhei, mas acima de tudo na paz, tranquilo.

Ontem o dia foi ainda melhor. Acabei saindo com uns amigos, fomos ao cinema assistir Elysium, filme com dois atores brasileiros que agora não tenho a menor lembrança dos nomes, mas muito bom. Depois estendemos o caminho e fomos até Volta Redonda. Nossa intenção era de ficarmos em barzinho, apenas eu, Pete e Érika. Chegando lá ficamos rodando pela cidade, mas nada de acharmos um local bom. Eu achei que na rua do Jardim Amália fosse estar com todos os bares abertos, mas depois me disseram que é só fim de semana. A sorte foi que minha amiga conhecia outro lugar, então, acabamos indo para o Black Jack, um barzinho muito bacana com gente bonita, divertida e bem arrumada. Lugar, que pra mim, é Top. Você via que as pessoas agiam naturalmente, nada de forçar algo que não são, como o povo de Resende gosta de fazer. Pessoas bem vestidas, bebendo, se divertindo e muito lindas. Eu mesmo fiquei interessado em várias pessoas, só não investi, pois não queria transformar o local num "ponto gay". Nos divertimos muito. Foi mais pra dizer que saímos de Resende, que saímos dessa rotina chata e sem nenhum acontecimento interessante por aqui.


Eu e Pete.


Eu e Érika.

Lado Bom: Nossa, que diferença. As meninas do barzinho, ao receber a gente no local, foi de uma simpatia fora do comum, uma educação e simplicidade que me surpreendeu. O que chega a ser bem diferente de Resende, que você já chega no local e a atendente com má vontade te atendendo. Mas no Black Jack, o astral já começa a se animar com as meninas sendo gentis no atendimento. Parabéns!
Lado Bom: Queria agradecer o gerente (ou responsável) que autorizou minha entrada no local. É que eu havia esquecido minha identidade, e com isso é proibida a entrada de qualquer pessoa. Conversei um pouquinho e ele me liberou. Valeu mesmo, pela atenção e educação no atendimento.

 Mudando um pouco de assunto. Então, galera, queria deixar avisado de que NÃO ESTOU NAMORANDO. Eu achei que estivesse em um relacionamento, masss, acho que não estou. Ele não queria nada com nada. Então, quem quiser ainda ter um caso comigo, sabe onde e como me encontrar. Não quero perder tempo em relacionamentos sem fundamento e "ficadas", quero compromisso.


0(24)  9966-5622


Leia Mais ►

domingo, 22 de setembro de 2013

FECHE OS OLHOS, PENSE EM COISAS BOAS E FAÇA UM PEDIDO...


Minutos antes de dar meia-noite, não parava de olhar o relógio. Parecia com pressa de completar meus 26 anos, parecia empolgado com a chegada do meu aniversário. Minutos antes, estava com aquele clima de entusiasmo de quando chega o fim do ano e você fica na expectativa contando os segundos esperando a virada. Aquela emoção que dá antes e depois do fim do ano, senti à pouco, esperando os minutos se acabarem e eu fazer o meu pedido de aniversário. Muito antes de meia-noite, eu já estava recebendo mensagens de parabéns. Sabe, infelizmente amizade, por mais que seja verdadeira, com o tempo muda. Bate a saudade, vontade de ver a pessoa novamente, mas de acordo que vão entrando novas pessoas em nossas vidas, acabamos esquecendo das outras, que fizeram parte da nossa história. Meus amigos do serviço, na hora em que saímos, me cantaram os parabéns, com direito no finalzinho da música trocar depois do "rá-tim-bum" por "pau no cu dele!". Depois da comemoração, minha amiga já muito louca, vem me dar um beijo, não no rosto, e sim, na boca e de língua. Ela estava era mais preocupada em me perguntar se beija bem do que me agradar. Tipo, acho que ela queria uma nota pro beijo dela, eu dou nota 10,00.


Depois de chegar em casa, no maior calor, tomar banho e responder algumas mensagens, resolvo sair, ir para a rua e refletir. Na boa, já era madrugada, e a única coisa que eu estava conseguindo pensar era em 26 anos atrás, na minha mãe provavelmente na maternidade de Barra Mansa sentindo as contrações e, Deus preparando o mundo para eu descer (peguei pesado). Nasci às 9 da manhã, na Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa, pesando 3k 280g e medindo 49 cm.

Curiosidade: Minha mãe sempre foi católica. Quando nasci, estava doente e ela fez uma promessa para que eu melhorasse. Enfim, depois dessa promessa, ela começou a comemorar meu aniversário no dia 27 de setembro e eu cresci com essa data na cabeça. Só depois de velho, fui descobrir que meu nascimento foi dia 22, e que a data 27 era devido sua promessa.

Ah, recebi tantas mensagens de pessoas me desejando felicidade, tanto carinho de um povo que não conheço nem a metade, mas que me deixou feliz. Na volta pra casa, encontro com um coroa muito gente boa, que acaba me levando para sua cobertura maravilhosa para comemorar meu aniversário. Ele já é de casa (ou seja, eu o conheço), muito educado e sabe respeitar. Em sua casa, ele me deu conselhos, trocamos experiências de vida e eu ouvi cada palavra que me disse, a fim de absorver tudo de bom que ele pretendia me trazer dizendo aquilo. Não bebemos, não comemos bolo, apenas conversamos. Foi exatamente o presente que eu queria, uma presença agradável nesta noite.
 




Leia Mais ►

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

TEM CULPA EU?


O desempregado. Ele está animado, saiu do serviço e pegou um dinheirinho. Tenho certeza de que não foi grandes coisas, mesmo assim ele está convencido de que "tá podendo"!. Tirando seu defeito por ser usuário de drogas e muito exibicionista, ele daria um amante perfeito. Mas o pouco do dinheiro que ele recebeu, subiu à cabeça. Ele é um ex-funcionário de uma grande empresa aqui da região, o que antes reclamava não ter pra sair comigo, desta vez ele capricha e resolve pagar tudo que tem direito. Vou dar uma de Anitta: "Tinha que ser pobre!". Por mais que ele tenha um sexo maravilhoso (só teve na nossa primeira saída) , não acho que o dinheiro recebido de sua rescisão seja motivo para tanta mudança de comportamento, pois ele gastava pra se exibir. Na hora do meu pagamento foi um desaforo, ele me deu o meu cachê e no final, me deu 50 reais à mais, como quem diz: "toma mais um trocado pra você".
Lado Bom: Mais foi um programa para vê-lo gastar do que fazer sexo. Pelo menos nisso me dei bem. Não estava a fim de nada com ele.
Lado Ruim: O ruim vai ser pra ele, quando o dinheiro acabar e ficar arrependido por ter usado algo que irá precisar mais adiante. Muito tosco, nosso primeiro encontro foi diferente, bem melhor que este.

Ser "conhecido" ajuda?:
Eu ainda não alcancei aquele raio de alcance para me tornar famoso. Estou ainda em "começo de carreira", e mesmo assim, essa pouca exposição que eu tenho, está me tirando o sono. Andei pesquisando para ver como anda minha "popularidade" e acabei descobrindo que muitos dos que me seguem, estão com medo de se aproximar de mim, por morarmos numa cidade pequena e o boato se espalhar. Andei conversando com umas pessoas que acabaram me revelando o medo de marcar e uma outra pessoa ver. Entendo perfeitamente a situação e com isso, tive a certeza daquela dúvida que eu estava tendo. Bom, posso afirmar que a procura por sexo caiu bastante, comparado com antigamente em que recebia mais de 30 ligações por dia, hoje não passa de dez e mesmo assim, estão sempre de alguma forma escondendo a voz com pano ou falando pouco, tudo por medo de ser reconhecido. Por mais que meu serviço seja discreto, entendo perfeitamente o medo desse povo, não os culpo por isso, pois a sociedade nos obriga a ser aquilo que eles querem, mesmo que pra isso, precisemos ser preconceituoso.


Garoto de programa também usa camisinha!:
Amores, quero avisar que, das vezes que menciono ou mencionei meus relatos sexuais, todas elas foram situações em que eu tomei todos os cuidados. Sempre tem um que faz aquela pergunta: "no seus textos, você não diz usar camisinha". Cara, já imaginou em todos os textos eu dizer que: "peguei a camisinha e fiz isso ou aquilo?" Pensou? Então. Não é por eu não mencionar a camisinha nos relatos, que eu estou deixando de usar. Estaria mentindo se dissesse que nunca deixei de usar, mas neste caso, sim, eu uso. Ponto!

Cara, que situação essa que a Coca-Cola tá passando, ser acusada de vender bebidas com resto de rato dentro. Gosto de Coca, mas depois disso, eu juro, comecei a ficar "veiaco" e também me precaver. Antes prevenir do que remediar.



Leia Mais ►

terça-feira, 17 de setembro de 2013

TÁ CHEGANDO A HORA!



 Era bom demais pra ser verdade, bom demais saber que eu havia conhecido um carinha bacana e com sentimentos. Com o  Tchelo, em nosso segundo encontro, continuei empolgado, mas no fundo, não estava apostando que aquele tesão e desejo que rolou da primeira vez fosse repetir. Acontece sempre, quando eu conheço alguém com uma afinidade boa, dia seguinte em nosso segundo encontro as coisas mudam, o tesão acaba e as estrelinhas que ficam piscando junto com aquele frio na barriga não fazem mais efeito. Me enganei, o sentimento e carinho acaba sendo melhor que antes, com o Tchelo desta vez passando a noite comigo, indo dormir tarde e acordando cedo para ir trabalhar.
Lado Bom: Ele me garantiu que não "fingiu orgasmo". Sem contar que sua escova de dente já está no meu banheiro (junto com outras 03, ops!)
Lado Ruim: Bom, não terá mais relatos sobre ele aqui. Ficará mantido em segredo. 

Uma mulher madura e que queria apenas uma companhia para um evento. Seria a primeira vez que estaria participando de um programa assim. Pelo menos a primeira vez que eu me lembro! Infelizmente não rolou, ela queria alguém um pouco mais velho, porque ela com 40 anos chegar num evento com um "garotinho" de 20, assustaria as pessoas do local.
Lado Bom: Ficaria nervoso com situações assim, sair como acompanhante. Já saí para almoçar, passeios, conversas e tal, mas para festa, seria a primeira aparição.
Lado Ruim: Seria um bom motivo para eu ficar feliz com os anos de vida que vou ganhar? Pois perdi cliente devido a minha idade. Ninfeto? Hahaha.
 
 Atenção: Faltam apenas 05 dias para meu aniversário e, a cada dia que passa, perco a vontade de comemorar com amigos e tal. Ganhar presentes, com certeza eu quero, mas talvez sem festas rsrs. Acho que neste momento, dizendo para vocês, eu não estarei depressivo nem angustiado quando chegar o dia, por enquanto estou tendo motivos de sobra pra comemorar, não o aniversário, mas outras coisas boas que estão me acontecendo (na verdade nada de novo, mesmo assim tô rindo à toa, só pra aliviar o estresse). Com a chegada do meu aniversário, dia 22 de setembro, me fez recordar de um juramento ou promessa que eu fiz, que foi abrir mão de algumas coisas. Humm, infelizmente não consegui chegar no meu objetivo. Não me sinto fracassado, eu achei que os meses que teria pela frente, seria o suficiente para eu fazer o que estava afim, mas as ordens naturais das coisas não seguiram do jeito que eu queria. Paciência.
 
Um dos itens que está na minha lista de presentes, é "produtos" Calvin. É, sou totalmente chato quando o assunto é Calvin Klein. Apesar de eu não ganhar nada com tanta propaganda que eu faço, gosto dela, sem receios :-).


 #FicaADica
Meu relógio: Ficou fora de foco, mesmo assim é lindo! 

Na verdade, poder compartilhar meus momentos e ser seguido por alguns, já me deixa feliz. Coisa que dinheiro nenhum no mundo compraria. É um presente que me liguem, me escrevam, me xinguem e tudo mais. Amo muito tudo isso! Melhor seria se eu estivesse curtindo tudo isso no Rio de Janeiro. Sinto inveja dos cariocas, masss.






Boa tarde.



Leia Mais ►