domingo, 29 de dezembro de 2013

MELHOR DE TRÊS...

Eu estava na rua, curtindo uma madrugada com um pouquinho de frio quando o ciclista me surpreende parando atrás de mim numa esquina e de longe fica me olhando sentado. Sem a menor vergonha, ele tira seu pinto pra fora e começa a balançar para chamar minha atenção. E chamou. Ele foi corajoso em ter feito isso sem saber se eu estava afim, ou se ao menos curtia outro cara. Na hora fiquei parado olhando, o vendo se exibir e mostrar seus dotes. Continuei sentado, ele amarra a bicicleta no poste e vem sentar-se junto a mim. Começa falando coisas sem sentido, tentando puxar assunto, mas sem saber como fazer. Perguntou se eu estava esperando alguém, o que estava fazendo ali sozinho etc... Ah, não vou perder tempo sendo que, eu sei bem o que ele estava querendo e, particularmente, eu também estava afim. Comecei alisando seu pinto, ele estava de joelhos na minha frente e nesta posição, comecei a masturbá-lo e, disfarçadamente colocando seu pinto na minha boca. Estava gostoso, seu pinto tinha a cabeça lisinha, que parecia deslizar boca adentro. Não demora muito e ele acaba gozando, se despedindo de mim com um beijo no pescoço.

Ele é meu amigo, tem namorada e o desejo de comer uma bunda, coisa que sua namorada ainda não deixou. Tivemos rapidamente algumas experiências homossexuais, onde eu acabei segurando seu pinto nas mãos e o masturbando. Não passamos disso, até que surgiu a oportunidade de ficarmos um pouco mais intimamente. Ele vem até minha casa, onde estávamos marcando há um bom tempo de nos encontrarmos. Só que ele prefere esperar lá embaixo no seu carro, enquanto eu me preparo e entro no banho. No que termino de me arrumar e desço até seu carro, ele já estava com o pinto pra fora e se masturbando.  A intenção era só oral, mas bem que ele queria ter me comido. Ele apesar de ser bem inexperiente na relação homossexual, ele soube agir do jeito que gosto, colocando e tirando o pinto da minha boca numa velocidade agradável e falando algumas besteiras do tipo: “me chupa, viado”. Ah, o final ele goza na minha boca e pede que eu engula seu leite. Depois do feito, ele vai buscar sua namorada no serviço. Que coisa linda!


Quando ele chega ao meu apartamento, eu senti que o conhecia de algum lugar, mas não me lembrava de onde. Bom, deixei rolar a situação entre a gente e foquei no programa, mas isso não impediu que continuasse com a pulga atrás da orelha tentando lembrar de onde o conhecia. Ele chega a fim de conversar, um pouco tímido, mas nada que pudesse interromper o clima que rolava entre a gente. Na conversa, ele me diz ser Padre e que estava indo embora da região por não ter noviços por aqui. Não entendi o que ele quis dizer, e nem perguntei mais sobre isso. Ele me pareceu alguém bem devoto, então, fiquei com uma dúvida de como ele agiria numa relação sexual. Será que ficaria clamando o nome de Deus pedindo perdão pelo pecado da carne? Não sei, porque não deu tempo para descobrir. Não sei como ele conseguiu fazer isso, mas quando encosto minha mão em sua perna, ele acaba gozando, soltando um gemido que, com certeza o prédio todo ouviu. Juro, tento imaginar tamanha força que alguém pode fazer para conseguir gozar sem penetração e a ajuda das mãos. 


Leia Mais ►

sábado, 28 de dezembro de 2013

FALA DE MIM E PENSA EM MIM 24 HORAS POR DIA.

Meu beijo de hoje vai para VOCÊ, que vive dizendo que não me suporta, mas todo dia tá visitando meu blog. Obrigado por este carinho tão grande e, por aumentar meus acessos.




Se você deixar de fazer tudo o que criticam, nunca fará nada. Então, continuem criticando, pois cada crítica feita, é uma nova meta para alcançar!!!

                    


                       


 Boa tarde. #HiagoWaldeck



Leia Mais ►

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

NATAL SOLIDÁRIO.

Desculpem o sumiço, mas minha net não anda boa (novidade!).

Natal nunca foi uma época que eu achei que merecesse comemoração. São tantas pessoas passando fome por aí, que me sinto mal por saber que hoje eu posso me alimentar, mas muitos, não. Neste natal resolvi fazer diferente e ajudar a quem precisa. Depois desses estragos que andaram acontecendo em Espírito Santo, resolvi fazer uma doação simples de R$ 2,500 para ajudar as vítimas da chuva. Queria poder fazer mais, então, tomei a decisão de ajudar semanalmente até o fim do mês de janeiro a estas e outras pessoas que precisam de ajuda. Com o que ganho por semana, acho que dá para manter uma mesada boa para estas pessoas. Eu acho que não existe atitude mais humana do que ajudar alguém. Queria muito poder fazer o mesmo aqui na cidade, mas são tantos interesseiros e pessoas a fim de explorar, que fico com medo do dinheiro ou até roupas serem desviados. Acho que já mencionei o caso da AVAPE, aqui de Resende. Crianças especiais estavam recebendo tratamento nesta escola, até que veio a falência, devido os responsáveis desviarem o dinheiro que eles ganhavam e até o salário que as crianças tinham. Com isso, veio a fechar o local, restando apenas o prédio.

Existem outros locais aqui na região que tem crianças e até adultos recebendo cuidados médicos e tratamentos especiais. Minha dúvida é: “até onde vai este tratamento especial? ’’. Já me aconselharam a não dar dinheiro nem produtos caros, pois os que precisam mesmo, não iriam usar. Depois disso, pensei bem e acabei nem doando nada. O problema de tudo, é que não posso acompanhar de perto todo o processo para saber aonde vai o dinheiro que investimos nestes lugares.
Já passei necessidade e sem ninguém para me ajudar. Acho que chegou a hora de eu fazer algo por aqueles que precisam.


Boa tarde e fiquem com Deus.


Leia Mais ►

domingo, 22 de dezembro de 2013

MELHOR DA SEMANA: "AMOR DE CARNAVAL"

Há exatamente cinco anos atrás, quando ainda estava recém-chegado aqui na cidade, conheci o Fe, que acabou sendo o meu primeiro ‘amor de carnaval’. Se me pedissem para comer um caminhão de merda por ele, eu comia. Era apaixonado, fascinado, louco por ele. Foi no carnaval de 2008 que o conheci, foi meu primeiro carnaval na cidade, um dia que nunca me esqueci. Lembro-me que no dia, estava na rua com um amigo e vi o Fe de longe. Era impossível não ficar admirado com sua forma física e beleza, alguém másculo e bem discreto. No que tinha o visto parado na rua olhando a banda que estava tocando no palco, logo pensei que seria muita sorte ficar com alguém feito ele. Na época ainda não sabia diferenciar quem são e os que não são gays, então, ele estava sendo alguém que eu achava ser hétero. Depois de muito admirar, resolvi ir embora com meu amigo. Os carnavais aqui na cidade nunca foram animados. No caminho de casa, meu amigo resolve mexer com o rapaz que estava na nossa frente, e pra minha surpresa era ele, o Fe. Eu fiquei com medo de ele nos bater, sei lá... Mas não foi isso que aconteceu e ele começa a dar liberdade para as investidas de meu amigo. Juro, fiquei me remoendo de inveja quando meu amigo vai atrás dele, depois de perceber que ele havia gostado das indiretas que mandava. Como ficaria sozinho em casa, resolvi dar mais um tempo na rua, até que, para a minha surpresa, meu amigo vem atrás de mim e diz que o Fe estava a fim de ficar comigo. Bingo!!! Ganhei minha noite.
Passamos três dias em sua casa. Três dias trancados e fazendo sexo. Nossa, estava muito bom, estava o curtindo muito. Eu bem que tentei ir embora, mas ele não deixava, e eu, adorava a situação, pois ele estava sendo o primeiro carinha Top de linha que estava ficando e que estava me desejando.
Nos tornamos amantes, ficando quase que com frequência. Mas com o tempo perdemos contato e ficamos um bom período sem nos falar.

Esses dias eu andei o encontrando pelas ruas e a saudade bateu forte. Tentei me aproximar, mas não deu. Até que, pra minha surpresa, acabamos nos encontrando pela internet e começamos a conversar. Resumindo: Eram 2hrs da manhã, acabei pegando um táxi e indo para sua casa. Eu achei que muita coisa tinha mudado e amadurecido. Só que, não. Chegando lá, continuamos do mesmo jeito que éramos antes, com os mesmos papinhos bobos, jeito de criança e atitudes paranoicas. Não estou criticando, porque foi exatamente isso que rola entre a gente que me fez ficar ‘xonado’ por ele. Ele está bem mais forte e encorpado. O mesmo disse sobre mim, que acabou comendo minha bunda e me aconselhando de dar aos outros, ainda mais agora que está grande rsrs. Foi bom poder conversar e ouvi-lo falando da época que eu era magro, tinha a barriga reta de tão seco que eu era, do nosso encontro no carnaval, nossos dias trancados dentro de casa, dos meus pelos do peito que ele gostava e hoje não tenho mais, da minha cara de bandido, enfim, de tudo de bom que aconteceu naquele dia. Ficamos uns três ou quatro anos sem nos vermos. Foi bom encontrá-lo, apesar de que, não estava a fim de comê-lo, mesmo assim, ele acaba me traçando haha.


Leia Mais ►

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

PERFEITO. ..

Uma coisa é certa: 'Eu só consigo me satisfazer sexualmente por completo com alguém, quando o sexo é 0800'. Tem, sim, clientes que me deixam cheio de tesão, mas são os gratuitos que me excitam mais. Quando saio com alguém na base do ‘free’, é por eu estar a fim de ficar com quem eu quero, e isso, chega a ser um estímulo a mais. Foi essa vontade que me fez sair de casa para me encontrar com o anônimo. Na verdade, eu não estava com tanta vontade assim, menos ainda tesão, mas saí na intenção de que poderia ser uma noite boa com alguém que iria conhecer. Ele me deu as coordenadas para chegar até onde mora. Compromissado, ele fez de tudo para não ser visto e levantar suspeitas. Quando cheguei ao local onde mora, ele não vai me buscar na portaria, apenas abre o portão e diz o andar que mora. Logo quando saio do elevador, vejo uma porta aberta com uma mão acenando, me chamando. Entro e levo o maior susto. Ele estava camuflado, com seu rosto coberto para que assim, não fosse revelada sua verdadeira identidade. Fiquei com medo e, logo pensei na possibilidade de um assassinato. Ele me coloca sentado numa cadeira e tira seu pinto pra fora, para que eu chupasse. Mesmo empolgado com seu pinto na minha boca, fiquei cismado achando que fosse sacar uma arma ou me dar uma coronhada na cabeça. Com o tempo acabei me soltando e viajando na fantasia de ficar com alguém que se escondia para não ser reconhecido. Ele parecia um marginal com aquela camisa enrolada na cara, o que me excitou muito, depois que me senti mais à vontade.
Além de um pinto grande, ele também curtia tapas. Os primeiros foram bem de leve, mas depois eu disse que poderia carregar um pouco mais a mão na hora de me bater. Começa a dar tapas em minha cara, comigo sempre revidando. Hora chupava seu pinto, lambia seu saco, fazia com que me prendesse entre suas pernas e me apertasse, mordia seus peitos, seu pescoço, queixo, braço e por aí vai. Pra ficar completo, faltou o beijo na boca. Coisa que não rolou, apenas deixou rapidamente encostar minha boca na sua por cima da camisa e, mesmo assim, jogo rápido. Foi o primeiro que fico e sinto prazer em lamber os pés, ser pisoteado e levar chutes (bem de leve) no rosto. Estava realizando todas as minhas taras com aquele cara, faltou apenas pedir que mijasse em mim, aí, sim, seria um final bem feliz.
Lado Bom: Estava cansado de chupá-lo sentado, então, ele se deita e eu por cima começo a chupar, até ele gozar na minha boca.
Lado Ruim: Ele não se mostrou e evitava falar muito, tudo na intenção de continuar no anonimato. No mínimo deve ser alguém conhecido, porque este medo todo, não é só pelo fato de ter namorada.


Leia Mais ►

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

ACORDEI SEM LEMBRAR, SE VIVI OU SE SONHEI



Vassouras - RJ


Um dia longe de casa, longe de Resende, a fim de conhecer novas pessoas e lugares, foi pra mim um dia especial. Um dia repousando em Vassouras, foi tão relaxante que, me senti como se eu tivesse tirado um mês de férias. Acabei indo para a casa do Biel, onde a intenção foi de nos conhecermos e passarmos o domingo juntos. Acabou sendo melhor do que imaginava, curtindo a vista de sua casa, contemplando a cidade e claro, nos curtindo muito.
Estava tão encantado que, em alguns momentos eu ficava quieto, desta vez não só admirado com a beleza da cidade, mas a do Biel, que é muito lindo. Em momentos assim fico pensativo, mas só atraindo coisas boas, esquecendo os problemas e pessoas que atrasam nossas vidas. Estou encantado até agora, sem palavras para expressar o que senti e vivi naquele dia. Tudo perfeito, só tenho isso à dizer.



Um dia inteiro de prazer. À noite ainda saímos para uma pizzaria da cidade junto com uma amiga dele. Cidadezinha pequena, mas que me encantou muito, parecia que estava respirando um novo ar, me deixando com muita paz. Biel me deixou bem à vontade. Dormimos juntos, conversamos bastante, namoramos... Não vejo a hora de vê-lo de novo.

Eu tinha combinado de ir para Volta Redonda, mas o pessoalzinho de lá... Bom, sei lá. Eu estava querendo alguma coisa diferente, algo melhor do que ficar em casa e passar à noite acordado o vendo dormir como todas as vezes que vou para Volta Redonda.
Biel e eu dormimos abraçadinhos, coladinhos e sarrando a noite toda. Ele gosta de falar, não parava um minuto sequer, sempre falando dele e todos a sua volta. Mostrando fotos e dando detalhes de quem são as pessoas nelas. Divertido e estranho, ele me mostra fotos de pessoas e, algumas delas, conhecidos meus. Mundo pequeno, né? Rsrs.

Sabe aquela imagem de fundo do Twitter, onde aparece a cidade iluminada ao fundo e algumas pessoas num terraço de prédio olhando? Então, à noite, na casa dele, foi a mesma coisa. Deitados no quarto, tinha a vista da cidade e, quando anoiteceu, foi outra surpresa, a cidade iluminada, com algumas casas enfeitadas com luzes de natal. Lembrava muito a tela de fundo do Twitter. Lindo!

Sou do tipo que fico encantado com esse tipo de situação. Me levar para um lugar assim, me conquista fácil.



Leia Mais ►

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

VISITA AO ASILO E UM POUCO MAIS SOBRE HIAGO.

 Minha manhã começa de uma forma triste e ao mesmo tempo gostosa. Resolvi fazer uma visita ao asilo aqui da região. Eu sempre me imagino no fim da vida. Como será eu daqui há uns 30 anos? Vivo, morto ou abandonado? Ir neste lugar me fez ver o quanto as pessoas não se importam com as outras, mesmo sendo da família ou não. Fiquei feliz por ver o sorriso no rosto das pessoas que estavam lá e que há tempos não recebiam visitas. Ao mesmo tempo fiquei triste, imaginando os motivos que as famílias dos idosos tiveram para deixá-los abandonados ali. Minha mãe se tivesse viva, estaria comigo, com certeza. Nunca me imaginei a colocando num lugar desses, e pra ser sincero, nem teria coragem. Cheguei a pensar que a pessoa fosse alguém sem caráter na vida e por isso está pagando seus pecados ali, mas nem todos tem uma história assim pra contar. Muitos ali foram pessoas sofridas, que não tiveram o apoio de ninguém. Fui fazer esta visita, porque eu poderia estar vivendo uma situação assim, parecida com a deles, como na época que procurei vagas em albergues por não ter onde morar e sem a ajuda de ninguém.


Algo que está sendo bem difícil de os outros entenderem ao meu respeito, é o fato de eu trabalhar e ganhar a vida como puto. Já expliquei várias vezes o motivo, mesmo assim, recebo mensagens de pessoas querendo entender melhor esse personagem Hiago Waldeck.

Gosto de trabalhar. Trabalho pra mim, é uma forma de mostrar aos meus familiares que estou na ativa e ganhando trabalhando honestamente. A prostituição que rola por fora, é como se fosse um complemento para eu pagar minhas contas e viver do jeito que sempre quis. Já pensei em abandonar a prostituição e viver só com o dinheiro do comércio onde trabalho, mas o medo bateu forte, quando me lembrei que, mesmo trabalhando, eu passava necessidades.
 Por outro lado, já pensei em viver só na prostituição, mas o medo de não saber o dia de amanhã me fez perder a segurança de ter o dinheiro fácil. Hoje estou bem, mas e amanhã, como seria se eu dependesse só do dinheiro do sexo e ficasse impossibilitado de fazer programas? Trabalhar com carteira assinada, bem ou mal, me dá uma segurança no fim da vida. Por isso não abro mão de trabalhar fichado, mesmo que seja cansativo viver duas vidas quase que ao mesmo tempo.

Acho corajoso pessoas que resolvem viver na prostituição, sem ter o medo de ficar doente no dia seguinte e não ter nenhum benefício do governo, como a aposentadoria. Tá certo que, não é lá grandes coisas esse dinheiro que ganhamos do governo, mas quebra o galho.



                       

Boa noite.



Leia Mais ►

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

ROTINA



Ontem passei a tarde toda no shopping com meus dois amigos de serviço, Paty e Pete. Um dia perfeito agindo como o garoto por trás do Hiago. Dia normal de gente normal. Comendo, indo ao cinema e em lojas. O clima chegou a esquentar quando conheci o Paquito. Alto, forte, branco e louro, com poucos cabelos grisalhos. Uma visão perfeita do que busco pra minha vida. Um viado conhece o outro e, quando o vi andando pelo shopping, não tive dúvidas de que seria alguém bem interessante para "chegar" junto. Ele não disfarça quando passa por mim à caminho do banheiro e me encara bem nos olhos. Um convite certo de que estaria a fim de alguma coisa. Minha amiga presente percebe a manifestação e me diz para ir até o banheiro. Juro, cheguei a ficar sem graça, com vergonha. Mesmo assim fui. No banheiro havia muita gente, não dava pra ter muita aproximação. Fiquei me lavando na pia, enquanto ele, estava atrás de mim, se lavando em outra pia e me olhando pelo espelho, diretamente pra minha bunda, até que, ele resolve acenar com a cabeça. Saí, enrolei e ele também, mas depois voltamos ao banheiro, onde entrei no box e o esperei. Ele já chega com o pinto pra fora, levantando a camisa e dando seus mamilos para eu chupar. Enquanto chupava, apertava seu pinto, acariciando com muita vontade de pôr na boca. Não deu muito certo, pois outros viados estavam presentes no local e tinha percebido nosso "esquema" e, mesmo que não tivesse percebido, eu não gosto de fazer parte desse grupo de banheiro, sabe? Até poderia ter rolado, mas no banheiro, ontem, não estava afim. Disse a ele que não daria, que seria melhor lá fora e ele concorda. Mas seu jeito meio que disfarçando me disse que ele estava acompanhado.
Lado Bom: Me diverti e aproveitei bastante com meus amigos Paty e Pete.
Lado Ruim: Fiquei com vontade de ficar com o paquito. Mas não deu mais.

Conheci um guarda de trânsito que me fez ficar com muita pena dele e quase que faço um Black Friday prorrogado com quase 100% de desconto. Em nossa saída, não conseguimos fazer muita coisa e, meu nervosismo me travou de conseguir dar o prazer que ele buscava. Vou explicar o motivo. Ele tinha o pinto bem pequeno, impossível de fazer alguma coisa com ele, porque o tamanho realmente atrapalhava. Na hora de masturbá-lo, tive que usar a ponta dos dedos, porque com minha mão fechada, seu pinto se escondia dentro dela, do mesmo jeito que uma formiga sumiria se eu estivesse pegando. Na hora do sexo oral foi outro constrangimento, seu pinto tinha muitos pentelhos e quase desaparecia no meio deles, a única coisa que eu senti foi coceira no nariz devido seus pelos ficarem roçando no meu rosto, pois seu pinto, no momento em que resolvi chupá-lo, não chegava nem perto do céu da boca na hora do boquete, de tão pequeno que era. Ele queria continuar, queria tentar me comer e agia de tal forma como se o tamanho de seu pênis não fosse problema. Nunca me importei com tamanho, já fiquei com outro rapaz com esse mesmo estilo e que foi ótimo como passivo, só que, o problema desse, é que não estava a fim de dar e sim comer. Não rolou, a camisinha ficou muito grande pra ele, e encaixar em um cu apertado (sim, o meu é) não seria algo simples. ''É mais fácil uma agulha passar pelo buraco de um camelo do que ele conseguir me penetrar''.
Lado Bom: Fiquei sem saber o que fazer. Ele me parecia ser uma boa pessoa e quando isso acontece, procuro fazer de tudo para não magoar. Só que, fiquei com muita pena dele e nesse momento, não soube o tipo de atitude que eu poderia estar tomando. Nos outros casos foram bem simples de serem resolvidos, porque a pessoa mesmo não me comendo, acabou sendo passivo comigo.
Lado Ruim: Meu nervosismo foi maior do que o nojo que eu sinto quando estou colocando um pinto grande e fino na boca. Sabe aquele nervosismo que se sente quando aparece alguém assim? Senti isso, mas de uma forma digamos que ''carinhosa'', pois ele até pode ter o pinto pequeno, mas tinha o coração grande. Não ia cobrar, pois realmente não fizemos quase nada, mesmo assim ele insiste em pagar.


Leia Mais ►