30 junho 2014

57º a 64º DE 365 DIAS: SALVADOR (PARA MAIORES DE 18 ANOS)




A pessoa que concorda em dizer que todo o baiano é preguiçoso, com certeza é alguém que não tenha a mínima ideia de como esse povo realmente é. O mal do brasileiro é criticar por que outro criticou. Fácil falar mal sem saber. Nesse período aqui em Salvador, fui tratado com muito respeito. Até mais do que o próprio povo da minha cidade me trata. Quando estava na praia, a menina responsável pelas cadeiras e mesas foi tão atenciosa que, faltou ela me carregar no colo e me sentar na cadeira, sempre me perguntando se precisava de algo. Quando disse a ela que estava com fome e queria ir até um restaurante, ela fez questão de me acompanhar até na porta do estabelecimento e ainda me pediu para tomar cuidado, pois a polícia tinha ido embora e os pivetes estavam nas ruas.
No restaurante, eu estava com os pés sujos de areia e pedi permissão para ir ao banheiro lavar meu pé. O garçom, na maior boa vontade, encheu um balde com água e ele mesmo lavou os meus pés.

Um povo muito acolhedor que sofre com comentários de outros lugares quando dizem que são um povo preguiçoso.

A pegação aqui é quente, afinal, todo o baiano é quente e sabe fazer gostoso. Um casal de amigos resolvem me procurar e marcar uma saída. Eles moram numa republica que eu apelidei de República Gay, pois todos os moradores de lá curtem outro cara. A ideia era de eu brincar apenas com os dois, e foi assim, pelo menos nos primeiros 10 minutos. A casa estava vazia, estavam apenas os dois, os outros tinham saído e com isso, aproveitamos para ficarmos à vontade. No começo brinquei com os dois, punhetando um, chupando outro e depois revezava. Quando estava agachado colocando os dois pintos na boca, de repente me aparece mais um do meu lado com o pinto duro pra fora em cima de mim. Na hora nem vi quem, só fui colocando na boca e sugando. Mas não ficou por aí, pois apareceu mais dois na hora, totalizando cinco caras a minha disposição. Percebi que a maioria dos baianos são dotados, mas dos cinco que estavam comigo, um deles era muito, mas muito avantajado e ainda tentava me forçar a engolir tudo, sendo algo impossível. Me diverti muito, aproveitei bastante e não ficou por aí.

Depois de terminado, resolvi dar uma volta pela cidade, mas dessa vez sem ser de táxi. Andei pelas praias próxima do bairro Parque da Costa Azul. Quando me aproximei perto das dunas que tem aqui, vi uma grande movimentação na praia, achei que pudesse ter acontecido alguma coisa, pois havia muita gente por lá. Me aproximei, o lugar era escuro, com um pouco de claridade que vinha da rua, mas ainda sim estava sendo ruim de enxergar alguém naquele lugar. Vi que ali tinha muitos gays, até que olho para trás e vejo duas meninas se beijando, quase que transando atrás de mim. Era praticamente uma orgia a céu aberto, mas eu não queria acreditar nisso, então, fui confirmar para um grupo que estava perto, e foi quando me disseram que eles se reúnem ali para “catação”. Tinha umas 120 pessoas na praia, todas andando pelas dunas de um lado para o outro, só esperando a oportunidade certa. O lugar serve de pegação há um bom tempo, e parece ser liberado, sem correr o risco de policiais chegarem e fazer graça.

Eu não estava acostumado com aquilo e resolvi descer pelas dunas e ver de perto o que rolava naquele lugar. Ali ninguém é de ninguém. É homem com homem, mulher com mulher. Todo mundo livre. Na parte debaixo, escondidos nas dunas, estava tudo liberado. Uns fumando maconha, outros se beijando e alguns se masturbando. Tipo, todo mundo que estava ali estava na ferveção. Estava só de olho, mas acabei sendo abduzido. Um rapaz que estava no grupo daqueles pra quem fui perguntar o que estava acontecendo ali me pegou, me puxou dizendo que me levaria para um lugar mais “discreto”. O lugar era a dois passos de onde estávamos, no meio de uma moita. Tipo, eu não queria nada com ele, até estava de olho em um e outro, mas ele atrapalhou. Bom, ele me puxa moita adentro e começa a me chupar. Não me excitei, pois não queria ficar com ele, mas deixei ele me chupar. Nisso, algumas pessoas se aproximam para nos ver e participar. Um deles (outro dotado) me inclina para que eu o chupasse, ou seja, eu estava sendo chupado e chupando.

Fiquei ali por um tempinho bom, observando várias pessoas transando nas pedras, perto do mar. Teve uns babacas metido a machão com garrafa quebrada querendo confusão com alguns travestis ali, mas são enrustidos querendo provar sua masculinidade.


28 junho 2014

SALVADOR - TERRA DE TODOS OS SANTOS


Bom dia!

Minhas fotos do Instagram ficaram ruins, com falhas.
Meu destino de agora está sendo aqui em Salvador. Cheguei ontem na cidade que me acolheu muito bem. Pela primeira vez experimentei a comida baiana, onde os garçons me deram muita atenção. Cheguei aqui cansado, pois eu ainda estava exausto pela minha viagem em Arraial do Cabo. Saí de lá dia 26 à noite e dia 27 de manhã (ontem) fui para o aeroporto do Rio. Quase que perdi a hora.

Ontem, depois de comer num restaurante daqui, o garçom me aconselhou a ir a Pelourinho. Peguei um táxi até lá e acabei ganhando um tour pela cidade inteira. O taxista me levou, buscou e depois me levou até o Rio Vermelho pra comer o que dizem ser o melhor acarajé da região, na barraca da Dinha.  Ruas cheias, pessoas simpáticas e o hotel que estou maravilhoso. Hotel beira-mar, com vista deslumbrante. Bairro nobre da cidade que, pelo que soube, o Gilberto Gil morava no prédio ao lado e o Netinho tem um apartamento aqui.






26 junho 2014

ARRAIAL DO CABO – EU VOU, MAS EU VOLTO.


Praia do Forno - Arraial do Cabo RJ

Ver a alegria de uma pessoa por ganhar tão pouco, não tem preço. Estava na Praia do Forno e resolvi comprar refrigerante num quiosque, mas antes disso, estava conversando com a funcionária do lugar, onde me tratou muito bem e foi uma simpatia em pessoa. O troco do refrigerante que seria de 15,00 reais, eu acabei dando a garçonete que me atendeu. Putz, ela ficou muito feliz pela minha atitude que, começou a ficar emocionada na hora, quase chorando. Agradeceu muito pela minha atitude, me elogiou ao máximo. Vi em seus olhos um sentimento verdadeiro, pois a maioria das pessoas que me cercam, tentam se aproveitar de alguma forma. Ela disse que tenho um coração bom e que tudo de ruim que passei na vida me fortaleceu e me fez ficar assim. Nossa, na hora foi eu quem quase chorou, fiquei mito feliz pela felicidade dela.
Vi que as pessoas daqui são simples, bem humildes. Bem diferentes de alguns que mesmo sendo pobres, gostam de esbanjar uma ostentação que não tem. Até agora, só vi uma menina se achando a estrela da cidade, tirando a maior onda por estar andando de ônibus, chegando ao ponto de manda beijinho no ombro, toda espalhafatosa... aff! kkkkkk. Mas fora isso, foi tudo perfeito, melhor impossível!

O melhor lugar para se comer é aqui no restaurante Meu Xodó. Atendimento bom e comida boa.

Passeios de barcos aqui valem muito a pena. Não gosto muito de escunas, pois geralmente vão muitas pessoas e eu gosto de algo mais reservado, tipo, só pra mim. Mesmo assim me arrisquei e adorei. Fiz passeios no barco Piratas do Caribe, onde um dos guias, o Ângelo, foi um ótimo profissional.

A pousada que fiquei é excelente! Chama-se Acuario. Simples, mas muito confortável. Se você tiver condições de pagar um pouco mais caro pra ficar em um quarto ainda mais confortável, não vai perder nada, vale muito vir conferir. Pousada de frente pra praia, com a gerente Erita (não, não é Érica, e sim, Erita) muito educada, simpática e atenciosa.

Eu aconselho ir ao Aloha Açaiteria e deixar sua assinatura na parede. A dona do local parece ser bem radical, me autorizou subir na mesa pra assinar meu nome na parte de cima da parede. Muita gente que passa por lá, deixa sua marca. Achei bacana isso.

Bom, fico por aqui... 


22 junho 2014

VOLTA AO MUNDO – AGORA EM CABO FRIO


Hoje foi dia de visitar Cabo Frio. No caso, outro paraíso tropical que pensava em conhecer, mas não hoje. O dia amanhece nublado, chovendo, tinha quase certeza que ficaria preso no hotel por falta do que fazer. Aos poucos o céu foi se abrindo e fui ver a luz do sol. Tem alguns pontos turísticos de Arraial do Cabo para conhecer, mas quando vi o tempo melhorando, resolvi correr logo pra curtir o dia, mas em Cabo Frio. Tudo ainda melhor do que eu imaginava. Água limpa, areia fina e água gelada, mas nada que impeça de cair nela. O que mais adorei na praia foram as Dunas. Cara, nunca imaginei que fosse ver uma (várias) na minha frente!






Nas dunas, no período da noite (ao entardecer) vira ponto de pegação. Juro, eu não sabia! Fui para conhecer as areias, nem passava pela minha cabeça fazer sacanagem ali. Conheci o Enfermeiro, que estava parado em uma das dunas, e aos poucos, fui me aproximando, mas sem o intuito sexual. Um coroa, negão e parecia ser “maludo”. Quando chego junto e começamos a conversar, vi que ficava alisando seu pinto e disfarçadamente, me olhava de cima a baixo. Pronto, estava no papo. Eu tinha quase certeza que por ele ser negão, seu pinto seria dotado. Um coroa muito sacana. Quando apertava seu pinto por cima da sunga, não senti muita coisa, mas tinha a certeza que o “gigante” iria acordar. O gigante acordou, mas de grande, não tinha nada. Fiquei bem chateado ao colocar seu pinto medindo uns 10 cm na boca. Nada contra, mas eu esperava mais de alguém da cor. Não sei o que era e nem quero saber, mas seu pinto estava com cheiro estranho, acho que ele se masturbou e não lavou (alguns têm fetiche por isso) e acabou sendo algo não tão legal.
Eu não estava mais afim e arrumei uma desculpa para ir embora. Disse que ia pegar minha carteira que havia deixado no quiosque da praia, mas ele decide vir atrás de mim, disse que eu estava com jeito de quem ia fugir. Ele curtiu minha bunda, toda hora alisava, apertava e me agarrava com força. Depois do pinto pequeno, na boa, nem quis mais. Vendo que ele iria me seguir, sugeri que ele gozasse rápido, pois só assim para ele sumir da minha frente com aquele “salário mínimo”. O movimento foi aumentando, e os interessados em sacanagem só chegando. Nos afundamos dunas adentro, ele baixa sua sunga e eu começo uma punheta nele. Não chupei, disse que apertei meu aparelho e meus dentes estavam doendo. Aos poucos, um coroa magro se aproxima. Coroa charmoso, mas quando o vi magro e branco, pensei: “outro com pinto pequeno”, nem dei bola. O Enfermeiro ficou incomodado, disse para não olhar, pois ele iria se aproximar. No que olho para o lado, vejo o magrelo branco perto de mim com seu pinto duro e enorme, na mesma hora o convidei para a festinha, mas o negão disse que, não. Nem liguei, o puxei pra mais perto de mim e coloquei seu pinto branco e grande na boca. Fiquei tão empolgado que, acabei chupando os dois ao mesmo tempo, mas sempre dando preferência ao coroa magrelo, maludo e com pinto cheiroso.

Depois que o negão goza, ele vai embora. Acho que percebeu que eu estava mais interessado no outro do que nele. Então, fiquei com o magrelo na praia. Não gozou, pois ele me chama para ir a sua casa que fica próximo. Bom, acho que arrumei algo pra noite.


Do local onde estava, a vista do Pôr-do-sol era lindo...



21 junho 2014

PERFEIÇÃO DA NATUREZA – ESTOU EM ARRAIAL DO CABO



Tempo frio muita gente prefere ficar em casa, dormindo, comendo ou tomando algo quente, certo? Errado! No meu caso, resolvi ir para alguma praia da vida, onde o tempo ruim não impede que eu me divirta do jeito que eu quero e mereço. Pesquisei muito, até chegar à conclusão de vir para Arraial do Cabo, que antes mesmo de vir, fiquei muito satisfeito com as imagens que vi do lugar, com águas claras e lindas. O bom de fazer viagens, é que sempre a gente tem a oportunidade de conhecer pessoas novas e culturas diferentes. Por sorte, sempre que saio, conheço pessoas legais. Ontem conheci a Michele, uma mulher simpática que meu deu muitas dicas do lugar, aonde ir e o que devo fazer. Muita gente (filho da puta invejoso) criticou por sair de casa e ir para praia em tempo frio. Falaram tanto que, o dia hoje acabou sendo ensolarado e ótimo.





Estou hospedado num hotel de frente pra praia (se não me engano, a família da atriz Flávia Alessandra é dona do local, mas não administra a pousada). A melhor vista da pousada fica no quarto em que estou, que da sacada tenho vista para o mar. Os outros quartos a vista é bloqueadas pelos coqueiros.

Andei por toda a Praia Grande, de frente a pousada que eu estou. Infelizmente nem todos se divertiram na praia. Depois de andar pelas areias finas, tive uma notícia meio chata. Três japoneses se afogaram no mar. Dois deles foram para o hospital e uma menina de 18 anos não foi encontrada. Ficaram por horas no mar a procurando, e nada. O mar da Praia Grande é muito agitado, somente os surfistas aproveitam as enormes ondas, pois os mais sábios ficam na areia, onde a onda te puxa e já te arrasta com força.


Local bom de mergulho foi na Prainha, onde terminei meu roteiro de hoje. A água estava fria, mas nada melhor do que lavar a alma em alto-mar. 




15 junho 2014

SAUDADES DO BRASIL - BUENOS AIRES


Meu dinheiro acabou!!! Fiquei muito desesperado quando abri a carteira e não tinha mais nada. Minha sorte foi que, na cidade tem um banco do Itaú, onde acabei conseguindo fazer um cartão internacional sem nenhum problema. Mas antes de conseguir, corri muito pela cidade até achar o banco, pois a cada banco que eu parava, me indicavam outro, onde pudessem me ajudar. Fiquei com medo de não conseguir, pois ainda tinha muita coisa que queria comprar. A menina do banco que me atendeu é brasileira e se chama Rose (Roseli eu acho). Muito atenciosa, fez toda a movimentação para me ajudar e com muita paciência. Depois de pegar meu cartão recarregável internacional, me senti rico (haha) até melhorei meu humor. Sem perder tempo, saí às compras para gastar.


Dia 13 fui conhecer o túmulo de Evita Perón. É estranho um cemitério fazer parte de um dos pontos turísticos da cidade. Estava cheia de pessoas curiosas para ver onde Evita está sepultada.
Depois disso, fui conhecer o Museu Nacional de Belas Artes de Buenos Aires. Me senti lisonjeado por poder fotografar ao lado de uma pintura de Van Gogh.

Depois fui ao shopping comprar alguns vinhos e mais alfajores que me pediram pra levar para o Brasil. Depois das compras, um pouco mais à noite, fui jantar com o brasileiro que conheci no hotel, onde acabamos sendo assaltados pelo taxista. Quando chegamos ao bairro onde estávamos hospedados, reconhecemos o local, mas o taxista começou a andar muito e a corrida estava ficando cara. Só me dei conta do roubo quando na rua vi um casal andando de patins, que já tinha passado por eles umas três vezes.


Adorei a menina que trabalha numa pizzaria perto da Ponte da Mulher. O nome do local é Del Puente, onde a pizza é deliciosa e o atendimento excelente. A Tany é muito sorridente, gostei tanto que, acabei tirando uma foto com ela. Conheci muitos brasileiros que estavam no mesmo hotel que eu, inclusive um em especial, que acabou sendo um companheiro de passeio pela cidade e mora em Belém.

Eu já estou no Brasil. Cheguei noite passada no Rio de Janeiro por volta das 23 horas, onde pedi pro meu amigo taxista de Resende ir me buscar. Cheguei em casa cansado, nesta madrugada, por volta das 2 da manhã. Foi tudo muito bom, adorei a semana que passei por lá e pretendo voltar futuramente. Agora, já sei do que eu devo e não devo levar, sendo assim, não vou passar sufoco hahaha.


No voo de volta, tinha quase uns 200 passageiros (eu acho), o avião estava lotado! De todos os passageiros, eu era o único brasileiro que estava no avião. Até a menina do aeroporto se espantou quando me viu descendo. No que o avião pousa no aeroporto, todos do avião começaram a cantar o hino da Argentina e aplaudir, todos animados para o jogo que será hoje.


12 junho 2014

ONTEM FOI CHORO E HOJE TESOURO- BUENOS AIRES


 Hoje consegui aproveitar mais um pouco de Buenos Aires. Senti que estava bem menos frio que ontem, mas agora á noite, depois de uma chuvinha, a temperatura caiu novamente. Depois de tomar café da manhã numa vista maravilhosa do hotel (fotos no meu Instagram), acabei fazendo um tour pela cidade. Logo de cara, acabei indo conhecer o Parque Japonês, um lugar onde todas as plantas e árvores foram trazidas para o local diretamente do Japão.




Por lá tinha um portal onde os mais supersticiosos escreviam seus desejos num papel e amarrava neste portal, ou colocava numas plantas. Eu não poderia perder a chance de colocar o meu pedido lá também. Sabe, eu sei que ele vai se realizar.




Nunca imaginava e nem tinha ouvido falar de como seria um planetário. Conheci o da cidade e me encantei com a forma que é passada para o público. Todo o teto serve de telão para mostrar como funciona nosso sistema solar, galáxia etc... Deitado na poltrona olhando as imagens no teto, me senti como se estivesse deitado no quintal de casa, numa noite escura e cheia de estrelas no céu. Muito bom.




Depois acabei indo conhecer o museu e um pouco da história de Carlos Gardel.






Ninguém é de ferro, estava cansado e acabei vindo para o hotel. Muitas emoções no mesmo dia, assim o coração não aguenta haha. Não assisti o jogo, e na boa, nem sei qual o resultado e nem quero saber. Cheguei ao hotel e desmaiei na banheira, onde fiquei mais de 3 horas tomando banho (dormindo). Muito bom.

Poxa, você que está a fim de acompanhar e saber os lugares que fui, clique ao lado na Tag: Tô de folga. Lá estão todos os meus destinos. Ou então, clique (aqui) e veja minha rota por aí.


11 junho 2014

DON’T CRY FOR ME ARGENTINA – BUENOS AIRES: HIAGO INTERNACIONAL


Don’t cry for me Argentina! É nesse espírito de alegria que me encontro hoje. Argentina, quem diria. Cheguei ontem num voo tranquilo, com apenas um pouco de medo por ver a asa do avião balançando tanto. Teve momentos que fiquei tonto, mas acho que era o medo com a ansiedade de ser internacional logo. A minha primeira impressão da cidade foi ruim. Achei todos um pouco preconceituosos com brasileiros, sem contar que, a maioria sempre emburrados, como se estivessem incomodados com sua presença no local. Fiquei chateado, e se dependesse de mim, iria embora pra casa ontem mesmo. Teve um momento que estava perdido num parque da cidade, foi quando um policial se aproxima e me diz para tomar cuidado, pois ali onde eu estava era perigoso e eu poderia ser assaltado. Pelo que soube depois, aqui tem muitos “batedores” de carteiras.







Fiquei perdido em relação ao dinheiro. Se eu tenho 100 reais, aqui valeriam 300 pesos. Pensando dessa forma, você acha que está rico na cidade. Mas, não. Fui num lugar tomar café, pedi o cardápio e não entendi nada do que estava escrito! Pedi bolo ao garçom e ele me trouxe dois salgados. Eu não sabia como se chamava bolo aqui na cidade. Cem dólares que você faz a troca por pesos, acaba valendo mil pesos. Em um dia você gasta isso brincando. Um salgado com um copo de suco sai na faixa de 85 pesos. Comida entre outras coisas, sai por 200 ou mais pesos. Vendo isso, você percebe que a grana não vale nada. É estranho, falta de costume com a moeda dele.. Já vi que ia passar fome haha. Tinha saído, fiquei perdido e não sabia voltar para o hotel. Perguntei para várias pessoas e eles não souberam me responder, pois não conhecia. Horas depois acabei achando o caminho de volta, estava muito cansado por andar tanto. Por sorte, acabei conhecendo um brasileiro que está hospedado no mesmo hotel que eu. Ainda na portaria, ele estava pegando o elevador e me pergunta se eu ia subir. Nossa, fiquei muito feliz por ter encontrado um brasileiro aqui. Acabamos fazendo amizade, á noite saímos para ele me mostrar a cidade, comemos e no fim, acabei dormindo no quarto dele. Ele está aqui há mais tempo que eu, também veio a passeio e vai embora daqui uns dias. Bom, ele não tinha conhecido ninguém aqui, então, acabei encontrando (e ele também) um parceiro para sair e passar a noite.



Hoje teve o passeio com meu guia e um grupo de pessoas pelos locais mais frequentados aqui. Conheci os bairros que eu estava querendo conhecer a tempos, inclusive o Caminito, que além de bonito, é muito perigoso. Comprei muitas coisas, uma delas foi Alfajor e champanhe, o que estou comendo e tomando agora. No passeio, conheci um casal de Varginha, Minas Gerais, que estão passeando por aqui. Mais um motivo de eu ficar feliz, pois o casal, tanto ela quanto ele, são muito educados e acharam ruim aqui na cidade as mesmas coisas que eu achei, por exemplo, a parte do dinheiro, que você acha que vale muito, mas na verdade é pouco. Não sabia que sentiria tanta falta do Brasil assim. Juro, estou morrendo de saudades de casa.

Algo inevitável foi todos me perguntarem aonde irei ver o jogo do Brasil. Eu respondia que não iria assistir e eles ficaram impressionados. Na verdade, torço pra Argentina e concordo que Maradona é o melhor do mundo. O Pelé nem como pai foi bom, imagine como jogador.




Disseram que Eva Perón ainda é odiada, e que os argentinos detestam a música interpretada pela deusa Madonna.

Achei linda esta foto que tirei. 


Anterior Proxima Página inicial