29 outubro 2014

I CAN FLY - SOBREVOANDO ANGRA DOS REIS



O prazer que eu sinto por realizar um sonho que tenho desde criança, vale muito mais do que qualquer dinheiro que eu possa ganhar fazendo programa. Dinheiro traz felicidade, mas realizar um sonho traz ainda mais! Cansado de viajar para Angra dos Reis, alugar barcos, lanchas e iates, resolvi ser um pouco mais ousado e sobrevoar a cidade, coisa que há tempos estou tentando fazer. O voo teve duração de 1h40min, sobrevoando Resende, Angra dos Reis, Paraty e Mambucaba. Um momento único, e muito emocionante. Mais uma vez me pego naqueles momentos pensando: Realmente estou vivendo isso, ou amanhã vou acordar desse sonho? Eu mesmo não acredito na quantidade de coisas que eu fiz neste ano. Curti muito, viajei, passeei e voei hahaha. O piloto me passou muita confiança, pois antes de voar, fiquei com medo de algum possível acidente. Depois que a gente vê jornal com tantas desgraças, a gente fica meio que com medo de fazer tal coisa, mesmo tendo feito milhares de vezes. Mas foi um voo tranquilo, com um pouco de turbulência, mas muito bom. Além de Angra, sobrevoar a Serra da Bocaina, foi fabuloso! 






Eu queria tanto levar minha sobrinha pra fazer estes passeios, mas infelizmente por ela ser pequena, daria muito trabalho. Eu queria ter feito várias coisas quando era criança, mas as condições financeiras dos meus pais não me permitiu ter esse capricho, que acabei conquistando hoje.






23 outubro 2014

PROJETO 2015: FICAR MILIONÁRIO!


Tudo na vida tem um preço, e o que eu busco pra mim custa caro! Andei fazendo as contas e cheguei à conclusão de que eu preciso me esforçar mais um pouco para alcançar a quantia que eu preciso. Este ano meu rendimento foi baixo, mas por escolha minha, pois queria mais viajar do que trabalhar. Se eu tivesse aceitado todos os clientes que me procuraram, estaria com 3x mais grana do que tenho hoje. Tô me preparando para voltar com tudo e faturar muito. Coloquei na ponta do lápis tudo que eu ganho, tudo que eu gasto e vejo o quanto me sobra. Quero garantir minha aposentadoria, abro meu próprio negócio e saio dessa vida.

Tenho que ver o valor do cachê e colocar um preço fixo. Dos poucos programas que fiz, eu acabei faturando alto por cada um deles, não por eu ter cobrado tal valor, mas acabei ganhando como “bonificação”. Muita gente reclama do valor que eu cobro, sendo assim, preciso cobrar um valor que seja acessível ao público e que não me prejudique. Mas também não tô a fim de ter qualquer tipo de cliente, principalmente os pobres metido a besta. Acho que 250,00 à 300,00 seria um valor justo. Fazendo três programas por dia nesse valor e somando durante um mês, eu ganharia pouco mais de 20 mil. Nesse ritmo eu chegaria à meta de 100 mil em março de 2015, daqui cinco meses. Isso se eu atender todos os dias, o que eu acho difícil por sentir preguiça. Mas não esquecendo dos dias que eu ganho o dobro em apenas um programa.

Como diferenciar clientes e programas para não reclamarem que cobrei caro de um e barato de outro? Não sei...



Pra juntar 100 mil por mês, eu teria que ganhar pouco mais de três mil por dia. Não daria conta de tantos clientes assim, e meu tempo é bem curto.  Por dia de trabalho eu chego a tirar uns 1,300 reais, mas isso nos dias que eu atendo, claro!

Sabe qual a conclusão que eu cheguei ao fim disso tudo? De que meu curso de contabilidade não adiantou em nada! Fiz tantas somas (incluindo minha viajem para Paris e meu futuro apartamento), mas não esclareceu muita coisa.


Há uns anos atrás eu estava fazendo este mesmo orçamento. A única diferença é que, hoje em dia, ganho MUITO mais do que antes e estou mais maduro pra lidar com o dinheiro e as responsabilidades da minha vida. Por falar nisso, ainda estou em dívidas com pessoas que me ajudaram na fase negra da minha vida, quando não tinha um centavo no bolso. Eu reclamo dos outros, mas já pedi muito dinheiro emprestado, acredita? 


13 outubro 2014

SIMPLESMENTE FELIZ!




Era um fim de semana que tinha tudo para eu ficar em casa, mas o calor de mais de 40 graus em minha cidade estava me matando. Estava saindo da lavanderia quando ligo para o motorista me buscar e me levar em casa. Quando me dei conta, estava à caminho de Angra dos Reis, um paraíso aqui no Brasil que eu amo muito e há muito tempo não ia pra lá. A temperatura em Angra estava mais baixa, mesmo assim deu pra curtir uma praia e pegar um bronzeado. Estava precisando me lavar com água do mar, me sinto até mais jovem ao mergulhar em Angra, que me faz muito bem. O motorista que me levou acabou ficando em Angra, dormindo por lá, para que no dia seguinte ele pudesse me trazer de volta. Ah, entre pegar ônibus e ir de carro, prefiro o carro, então, achei muito bom ele ter ficado na cidade pra me trazer dia seguinte. Isso sim é um serviço completo!


À noite, acabei saindo e fazendo uma caminhada pelo calçadão da praia, e como não é nenhuma novidade, acabei conhecendo o nômade. Carinhoso, bonito e muito louco. Um garoto de 22 anos e com muita experiência de vida. Acabei me identificando muito com ele, pois sua historia de vida é parecida com a minha. Rejeitado pela família e humilhado por alguns, ele decidiu cair na estrada e viajar. Cada um tem sua maneira de lidar com problemas do dia a dia. Uns fumam, outros bebem, tem àqueles que vão para psicólogos e outros que viajam, e foi exatamente isso que ele fez, caiu na estrada, conhecendo um pouco de cada lugar, pedindo carona nas rodovias. Senti um pouco de inveja, pois sua vida hoje em dia, é exatamente o que eu tinha em mente pra minha. Minha vontade foi de largar tudo e ir com ele, seguir viagem nesse mundo, pedindo carona nas estradas, correndo risco e sentindo adrenalina. Ele tinha perdido o ônibus para Belo Horizonte e acabou ficando na rua, ficaria esperando por 9 horas até o próximo, foi nesse tempo que o conheci.

Eu já dormi na rua, não é nada legal isso. Muitos sabiam, mas ninguém ajudou. Pensando nisso, eu, como alguém que já passou aperto, não poderia deixá-lo dormir na rua. Não iria me sentir bem com isso sabendo que tive a chance de ajudar e não fiz nada. Acabei o convidando para dormir no mesmo lugar onde eu estava hospedado, fiz questão disso. Ele descansaria melhor pra seguir uma longa viagem no dia seguinte. Em um momento ele me pergunta: “Por que você está fazendo isso por mim, alguém que você nem conhece”? Eu fui bem claro quando disse: “Tô fazendo por você exatamente o que eu queria que tivessem feito por mim quando precisei”. Minha consciência me fez agir assim. Passamos à noite nos conhecendo melhor, conversando muito e trocando experiências. Dia seguinte ele foi embora, mais uma vez me agradecendo pelo meu gesto. O sexo que rolou entre a gente foi espontâneo. Não o chamei para dormir no hotel para ter em troca sexo dele, e ele não aceitou dormir comigo e se sentiu obrigado a me pagar com sexo. É muito bom conhecer pessoas novas, e agradeço muito a Deus por sempre aparecer pessoas boas em meu caminho, a cada viagem que faço.

Ele tem o mesmo pensamento que eu sobre a vida. Tudo que acontece, sendo ruim ou bom, tinha que acontecer, estava escrito pra que fosse daquele jeito. Ele ter cruzado meu caminho, estava predestinado.



Anterior Proxima Página inicial